10 de Julho de 2010 / às 15:44 / 7 anos atrás

Árbitros acertaram 96% das decisões na Copa, diz estudo da Fifa

Por Simon Evans

PRETÓRIA (Reuters) - De acordo com um estudo do Comitê de Arbitragem da Fifa, os árbitros estavam certo 96 por cento das vezes durante a Copa do Mundo.

O estudo focou em decisões-chave como cobranças de falta, penalidades e decisões de gols, mas não examinou regulamentações menores, como arremessos laterais.

A pesquisa foi feita por meio de análise de vídeos trazidos pelos membros do comitê e instrutores da Fifa, disse à Reuters José Maria Garcia-Aranda, chefe de arbitragem da entidade que comanda o futebol mundial.

"Estamos trabalhando muito e não estamos surpresos com o resultado que tivemos porque o nível da arbitragem é muito, muito melhor", afirmou ele.

"Temos trabalhado com os árbitros por muitos anos, nós os preparamos tão bem quanto possível com novas tecnologias de informação e vídeos."

Esta é a primeira vez que a Fifa divulga tal estudo sobre a atuação dos árbitros, e embora não exista maneiras de compará-lo com torneios anteriores, Garcia-Aranda disse que estava confiante que a tomada de decisões certas melhorou.

"Mesmo sem uma pesquisa formal, nós podemos dizer que o número de boas e difíceis decisões aumentou este ano", declarou ele.

"Estamos falando de milhares de decisões em 62 jogos, algumas delas muito, muito difíceis e a grande maioria delas correta", comentou Garcia-Aranda, acrescentando que 'o nível de sucesso' foi maior do que a de jogadores sofrendo pênaltis.

Houve também decisões erradas importantes no torneio, como o gol da Inglaterra contra a Alemanha que não foi validado, quando, num chute de Frank Lampard, a bola acertou o travessão e bateu dentro da linha, ou o impedimento de Carlos Tevez ao marcar gol para a Argentina diante do México.

O árbitro húngaro Viktor Kassai, que apitou a semifinal entre Alemanha e Espanha, disse que não estava surpreso com o número de 96 por cento de decisões corretas.

"Árbitros de primeiro escalão devem ter esse nível de acerto, esse número parece realista para mim", afirmou ele à Reuters.

"O problema geralmente é que em uma partida que você tem de tomar 200 decisões, se uma for errada e for vital, então, ninguém se importa com as outras 199 certas."

"Nós somos como os goleiros, que podem fazer dez grandes defesas, mas então toma um frango no final. O que será lembrado? Entretanto, independentemente dos números, temos de focar em atuações irrepreensíveis."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below