Zuma: Nada de polvo, na África são os ossos que preveem o futuro

domingo, 11 de julho de 2010 13:32 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - Esqueça Paul, o polvo. Na África somente os ossos de animais são capazes de prever com precisão o resultado de partidas importantes, como a final da Copa do Mundo entre Espanha e Holanda neste domingo, disse o presidente da África do Sul, Jacob Zuma.

Os torcedores holandeses têm minimizado a previsão de que perderão a final para a Espanha feita pelo polvo profeta, que virou uma celebridade mundial ao acertar os vencedores de todos os sete jogos da Alemanha no torneio.

"Não deem ouvidos ao polvo. Aqui na África nós jogamos ossos, são os ossos que falam, não os polvos", disse Zuma, arrancando risadas de líderes africanos que estão no país para assistir à final.

Muitos sul-africanos acreditam nos sangomas, ou curandeiros, que afirmam ter a habilidade de ler o passado escondido ou o futuro ao atirar ossos de animais no chão.

Mas alguns torcedores estão colocando sua fé em Paul, o polvo, que vive na Alemanha, ou em seu rival, Mani, o periquito, de Cingapura, que previu vitória da Holanda no estádio Soccer City neste domingo.

"Vamos saber... qual dos dois está falando a verdade", brincou Zuma

(Reportagem de Stella Mapenzauswa)

 
<p>O presidente sul-africano, Jacob Zuma, em coletiva de imprensa em Pret&oacute;ria, 9 de julho de 2010. Zuma disse para esquecer Paul, o polvo: na &Aacute;frica, s&atilde;o os ossos que preveem o futuro. REUTERS/Thomas Mukoya</p>