Bernie Ecclestone coloca a Rússia no topo da agenda da F1

domingo, 11 de julho de 2010 16:26 BRT
 

SILVERSTONE, Inglaterra (Reuters) - A Fórmula 1 pode voltar para a África do Sul nos próximos três anos, mas um Grande Prêmio na Rússia é prioridade, disse o chefe comercial da categoria, Bernie Ecclestone, neste domingo.

"A única dúvida é a Rússia, onde deveríamos estar e não estamos", disse Ecclestone em entrevista para a BBC Radio.

"Seria ótimo estar em todas as partes do mundo, mas a Rússia é mais importante. A África é limitada para as pessoas que estão envolvidas com os negócios da F1, enquanto a Rússia está totalmente aberta."

Para Ecclestone, o sucesso da África do Sul em sediar a Copa do Mundo tornou possível a realização de uma corrida de F1 no país. O último Grande Prêmio na África do Sul em Kyalami foi em 1993.

"Tomara que, agora, as pessoas pensem que o que Copa do Mundo fez pela África seja bom também para a Fórmula 1", disse o executivo de 79 anos. "Nós estamos conversando com as pessoas de lá por um bom tempo. É um continente onde deveríamos estar."

Ecclestone acrescentou que a Cidade do Cabo também foi analisada como possível local para um circuito, mas novas opções estão surgindo. "As chances são boas, trata-se apenas de encontrar o lugar correto. É provavelmente algo que se resolve em três anos", garantiu.

A Rússia tem sido por um bom tempo a prioridade de Ecclestone, que vê a realização de uma corrida em Sochi, que vai sediar a próxima Olimpíada de Inverno em 2014.

Vitaly Petrov, da Renault, tornou-se nesta temporada o primeiro piloto do país na F1, com a fabricante de veículos Lada também participando da modalidade como patrocinador.

(Reportagem de Neil Maidment)