Árbitro da final da Copa se defende após avalanche de críticas

terça-feira, 13 de julho de 2010 19:27 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O árbitro da final da Copa do Mundo, Howard Webb, defendeu seu desempenho no jogo de domingo e disse ter feito tudo o que podia para manter o controle em meio à tensão em campo.

O inglês foi duramente criticado após a vitória da Espanha por 1 x 0 sobre a Holanda na prorrogação, em jogo que teve 13 cartões amarelos e a expulsão do holandês John Heitinga.

Vários jogadores holandeses criticaram o árbitro após a partida, acusando Webb de favorecer os espanhóis que, por sua vez, disseram que ele não soube conter as táticas agressivas da Holanda.

"Não importa o jogo, você sempre espera que os árbitros não precisem estar fortemente envolvidos. No entanto, tivemos que aumentar nossa participação para manter controle", disse Webb em nota no site do Campeonato Inglês na Internet.

"Não acredito que tivemos muita escolha a não ser gerenciar o jogo da maneira com a qual fizemos. Saímos satisfeitos que fizemos um trabalho duro em circunstâncias difíceis na melhor de nossas capacidades".

"Era um jogo extremamente desafiador, mas teria sido para qualquer árbitro. É um dos jogos mais difíceis que nós estaremos envolvidos e sentimos que trabalhamos duro para manter o foco no futebol", completou.

A partida final foi marcada por uma série de entradas duras da Holanda e de excesso de discursos do árbitro. Os holandeses tiveram sorte de não ter Nigel de Jong expulso ao acertar o peito de Xabi Alonso na primeira etapa. O holandês foi punido com um cartão amarelo.

Webb justificou o excesso de conversa em campo com os jogadores. "Tentamos aplicar um pouco de senso comum dada à magnitude da ocasião para ambos os lados --alertando os jogadores no início sobre suas atitudes, afastando jogadores quando chegavam perto dos árbitros e conversando com seus colegas mais experientes para tentar acalmá-los", disse.

(Reportagem de Toby Davis)

 
<p>&Aacute;rbitro Howard Webb mostra cart&atilde;o amarelo para o holand&ecirc;s Robin van Persie na final da Copa do Mundo, na &Aacute;frica do Sul: ele se defendeu da s&eacute;rie de cr&iacute;ticas por sua atua&ccedil;&atilde;o na partida. REUTERS/Dylan Martinez</p>