Alemães rejeitam proposta para vender polvo Paul à Espanha

quinta-feira, 15 de julho de 2010 19:57 BRT
 

OBERHAUSEN, Alemanha (Reuters) - O polvo Paul, mundialmente célebre pela precisão dos seus palpites durante a Copa do Mundo, ficará na Alemanha apesar de uma proposta espanhola para adquirir o molusco-talismã, disse na quinta-feira o aquário Sea Life, de Oberhausen.

Dezenas de zoológicos de toda a Espanha manifestaram interesse em receber Paul, que acertou os oito resultados em que "palpitou", inclusive a vitória espanhola sobre a Alemanha, na semifinal, e sobre a Holanda, na final.

O polvo dava seus palpites ao escolher entre dois mexilhões que lhe eram oferecidos dentro de caixas transparentes, com as bandeiras de dois países que fossem se enfrentar naquela rodada. Depois dos primeiros acertos nos jogos da Alemanha, as previsões passaram a ser transmitidas ao vivo pela TV.

Paul tem 2,5 anos, idade avançada para um polvo, o que não desanimou os interessados. O Zoo de Madri disse que está disposto a elevar sua oferta, embora a quantia não tenha sido revelada. O aquário de Palma de Mallorca também manifestou interesse.

Mas Tanja Munzig, porta-voz do Sea Life, negou estar em contato com o Zoológico de Madri. "Não sabemos nada sobre um intercâmbio de Paul por outro animal, ou que vá ao zoológico de Madri por uma quantia de transferência", afirmou ela.

Mais receptiva foi a porta-voz em relação à homenagem prestada pela localidade galega de Carballino, que nomeou Paul cidadão honorário. Ela disse que o prefeito de Carballino - terra que organiza anualmente uma "Festa do Polvo", servindo o típico polvo à galega - irá na semana que vem a Oberhausen entregar uma placa e uma estatueta ao cefalópode.

Será mais um item para a coleção de troféus de Paul, que já ganhou uma réplica da Copa do Mundo.

(Reportagem de Reuters TV)

 
<p>O polvo Paul em aqu&aacute;rio na Alemanha. Mundialmente c&eacute;lebre pela precis&atilde;o dos seus palpites durante a Copa do Mundo, o "polvo or&aacute;culo" ficar&aacute; na Alemanha apesar de uma proposta espanhola para adquirir o molusco-talism&atilde;. 09/07/2010 REUTERS/Wolfgang Rattay</p>