Reunião do International Board exclui arbitragem eletrônica

segunda-feira, 19 de julho de 2010 10:23 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - A tecnologia eletrônica para aferir se a bola entrou no gol não será discutida na reunião desta semana do International Board (entidade que define as regras do futebol), apesar de o presidente da Fifa, Joseph Blatter, ter dado durante a Copa garantias de que isso iria ocorrer.

A subcomissão técnica da entidade se reunirá na quarta-feira em Cardiff, no País de Gales (Grã-Bretanha).

Mas a pauta, que foi definida em maio, contém apenas um item: a experiência, já em andamento, da colocação de árbitros auxiliares atrás dos gols, como já ocorreu na temporada passada na Liga Europa.

Nas oitavas de final da Copa, a arbitragem não notou que uma bola chutada pela Inglaterra contra a meta da Alemanha ultrapassou a linha, e o gol não foi validado - embora milhões de pessoas tenham notado pela TV que a bola entrou. Depois do incidente, Blatter disse que "seria um absurdo não reabrir o tema da tecnologia da linha do gol".

"Vamos examinar novamente a tecnologia da linha do gol na reunião de trabalho da International Board em julho em Cardiff", prometeu Blatter na ocasião.

Mas na segunda-feira a Fifa divulgou nota dizendo que "o único item da pauta será a revisão e eventual aprovação das solicitações feitas por várias confederações e associações integrantes da Fifa para implementar as experiências com dois árbitros-assistentes adicionais". A experiência duraria as próximas duas temporadas.

Qualquer discussão sobre a nova tecnologia eletrônica ficaria, portanto, para a reunião de trabalho seguinte da International Board, em outubro. A aprovação da novidade, nesse caso, só poderia acontecer no encontro anual da entidade, em março de 2011.

A International Board é composta por representantes das quatro associações britânicas de futebol (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) e por quatro da Fifa. O grupo já rejeitou em março a adoção da tecnologia eletrônica na linha do gol.

Em 2006, a International Board chegou a autorizar uma experiência nesse sentido, mas um sistema com um chip na bola, usado no Mundial Sub-17 e no Mundial de Clubes de 2007, se mostrou impreciso e não voltou a ser usado.

 
<p>Goleiro alem&atilde;o Manuel Neuer v&ecirc; bola pingar depois de chute &agrave; gol do ingl&ecirc;s Frank Lampard nas oitavas de final da Copa do Mundo. Apesar de a bola ter cruzado a linha, ela n&atilde;o foi registrada como gol, incitando debates sobre a possibilidade de usar tecnologia para detectar a entrada em futuras Copas do Mundo. 27/06/2010 REUTERS/Eddie Keogh</p>