França suspende os 23 jogadores da Copa do Mundo

sexta-feira, 23 de julho de 2010 15:56 BRT
 

PARIS (Reuters) - Os 23 jogadores que representaram a seleção francesa na Copa do Mundo da África do Sul foram suspenso do próximo jogo da equipe, após a eliminação na primeira fase da competição, anunciou nesta sexta-feira a Federação Francesa de Futebol (FFF).

A decisão foi tomada pelo conselho do FFF, após proposta do técnico Laurent Blanc.

A eliminação precoce da França na África do Sul aconteceu depois de um boicote dos jogadores a um treinamento em apoio ao atacante Nicolas Anelka, que foi cortado da equipe e mandado de volta para casa após insultar o então técnico, Raymond Domenech.

O novo treinador da França Blanc, que foi anunciado no dia 2 de julho como substituto de Domenech com a missão de recuperar o orgulho dos campeões do mundo de 1998, vai anunciar em 5 de agosto a convocação dos jogadores para o amistoso com a Noruega, em Oslo, seis dias depois.

O conselho da FFF também estava previsto avaliar a situação dos jogadores Franck Ribéry e Karim Benzema, que estão sendo investigado pela Justiça após serem acusados de terem feito sexo com uma prostituta menor de idade.

No entanto, o presidente-interino da entidade, Fernand Duchaussoy, disse em sua primeira entrevista coletiva no cargo que nenhuma decisão foi tomada.

"Pessoalmente, estou convencido que as pessoas que jogam pela seleção devem estar absolutamente limpas, mas terei que avaliar isso com Laurent Blanc. Devo respeitas as vontades dele e o interesse geral", disse o dirigente, que substituiu o ex-presidente da FFF Jean-Pierre Escalettes, que pediu demissão após o Mundial.

 
<p>Novo t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o frances, Laurent Blanc, durante coletiva de imprensa da Federa&ccedil;&atilde;o Francesa de Futebol (FFF). Os 23 jogadores que representaram a sele&ccedil;&atilde;o francesa na Copa do Mundo foram suspensos do pr&oacute;ximo jogo da equipe, ap&oacute;s a elimina&ccedil;&atilde;o na primeira fase da competi&ccedil;&atilde;o. 06/07/2010 REUTERS/Mal Langsdon/Arquivo</p>