Briga política paralisa votação no futebol iraquiano

sábado, 24 de julho de 2010 15:56 BRT
 

ARBIL/BAGDÁ, Iraque (Reuters) - O Iraque está perto de levar uma suspensão da Fifa, neste sábado, depois de não ter conseguido eleger um novo presidente após discussões políticas.

A briga política pelo poder paralisou a Federação Iraquiana de Futebol, evidenciando divisões sectárias no país sete anos depois que os Estados Unidos invadiram o país e três anos após uma seleção iraquiana multiétnica triunfar na Copa da Ásia.

O governo do primeiro-ministro xiita Nuri al-Maliki tem tentado retirar oficiais superiores da entidade suspeitos de ligação com o antigo regime sunita de Saddam Hussein.

O presidente da Federação Iraquiana de Futebol, Hussain Saeed, que já foi oficial sênior do Comitê Olimpíco controlado antes de 2004 pelo temido filho da Saddam Uday, está enfrentando um desafio diante de Falah Hassan, que é apoiado pelo governo xiita. Ambos são ex-estrelas do time nacional do Iraque.

A federação deveria eleger um novo presidente neste sábado, mas a votação foi adiada para domingo depois que apenas uma minoria de 63 delegados compareceu a Arbil, no Curdistão iraquiano, onde a Fifa insistiu que deveria acontecer a eleição por questões de segurança.

A maioria se reuniu em Bagdá, onde o governo queria que fosse a eleição para demonstrar as melhorias na segurança depois do auge dos conflitos sectários em 2006-07. Bombardeios e ataques ainda ocorrem com regularidade na capital.

Saeed acusou o governo de interferir nos assuntos da federação, pedindo aos membros que compareçam ao encontro de domingo em Arbil, que irá acontecer independentemente da quantidade de delegados presentes.