Ferrari e Alonso retomam luta pelo título apesar de multa

segunda-feira, 26 de julho de 2010 12:41 BRT
 

Por Alan Baldwin

HOCKENHEIM, Alemanha (Reuters) - A Ferrari e o piloto espanhol Fernando Alonso estão de volta na briga pelo título da Fórmula 1, apesar de terem deixado a Alemanha com uma multa de 100 mil dólares e uma ameaça de maiores sanções depois do GP de domingo.

A Federação Internacional do Automóvel (FIA) vai decidir se impõe sanções adicionais à Ferrari depois que a equipe deu ordens para que o brasileiro Felipe Massa deixasse passar seu colega espanhol Alonso, numa dobradinha da equipe em primeiro e segundo. O regulamento proíbe tais "ordens de equipe".

Os comissários do circuito de Hockenheim afirmaram que a escuderia italiana havia tirado a credibilidade do esporte e encaminhou o assunto ao Conselho Mundial de Esporte a Motor (WMSC, na sigla em inglês).

Ironicamente, a FIA é agora presidida pelo homem -- o francês Jean Todt -- cujas ações como chefe da Ferrari no GP da Áustria em 2002 levaram à proibição das ordens de equipe. Naquela prova, ele ordenou que o também brasileiro Rubens Barrichello deixasse o alemão Michael Schumacher ultrapassá-lo.

No entanto, Alonso não terá problemas para dormir por conta de seu papel no incidente, mesmo que alguns tenham pedido que as primeiras duas posições sejam trocadas.

"Se eu fosse do WMSC eu tiraria os pontos de equipe e deixaria os pontos dos pilotos", disse o diretor técnico da Lotus, Mike Gascoyne, que trabalhou com Alonso na Renault.

"Afinal de contas, eles só fizeram o que foram pedidos", acrescentou ele no Twitter.

Deixando a polêmica de lado, a batalha pelo título da F1 foi beneficiada pela manobra da Ferrari, que aumentou a pressão sobre Red Bull e McLaren.

Agora cinco pilotos estão separados por apenas 34 pontos no campeonato, uma diferença pequena dentro do novo sistema de pontos, que dá 25 unidades aos vencedores.

 
<p>Fernando Alonso comemora vit&oacute;ria do GP da Alemanha em Hockenheim. A Ferrari e o piloto espanhol est&atilde;o de volta na briga pelo t&iacute;tulo da F&oacute;rmula 1, apesar de terem deixado a Alemanha com uma multa de 100 mil d&oacute;lares no domingo. 25/07/2010 REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>