Maradona deixa cargo de técnico da seleção argentina

terça-feira, 27 de julho de 2010 19:22 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O ciclo de Diego Maradona como técnico da seleção argentina acabou nesta terça-feira, quando os principais dirigentes da associação local decidiram de forma unânime não renovar seu contrato depois do fracasso da equipe na Copa do Mundo da África do Sul.

O comitê executivo da Associação de Futebol Argentino (AFA) tomou a decisão após escutar um relatório de seu presidente, Julio Grondona, sobre a reunião que teve com Maradona na véspera, em que o dirigente havia expressado a necessidade de mudanças na comissão técnica da seleção.

Maradona tinha dito que não aceitaria essas condições, o que precipitou sua saída.

"O comitê executivo com o total de seus membros e por unanimidade resolveu não renovar o contrato com o senhor Diego Armando Maradona como treinador da seleção nacional", disse a jornalistas o porta-voz da AFA Ernesto Cherquis Bialo.

A decisão foi tomada por unanimidade pelos 28 membros presentes do comitê da entidade.

Cherquis disse que a Argentina será treinada por Sergio Batista, atual treinador das divisões de base da seleção, nos próximos jogos amistosos.

Maradona assumiu a seleção em novembro de 2008 e, depois de realizar uma campanha ruim nas eliminatórias, o time foi eliminado do Mundial pela Alemanha, nas quartas de final, com uma derrota por 4 x 0.

A imprensa argentina promovia nesta terça-feira discussões e pesquisas para ver quem deveria suceder Maradona.

Carlos Bianchi, que em duas oportunidades se negou a assumir o cargo no passado, aparece como o favorito das sondagens. Em uma consulta realizada pelo jornal Olé, o ex-técnico do Boca Juniors alcançou 40 por cento dos votos.   Continuação...

 
<p>"O comit&ecirc; executivo com o total de seus membros e por unanimidade resolveu n&atilde;o renovar o contrato com o senhor Diego Armando Maradona como treinador da sele&ccedil;&atilde;o nacional", disse a jornalistas o porta-voz da Associa&ccedil;&atilde;o de Futebol Argentino. 03/07/2010 REUTERS/Carlos Barria</p>