ENTREVISTA- Tecnologia no gol é mais barata que árbitros extras

sexta-feira, 30 de julho de 2010 11:01 BRT
 

Por Patrick Johnston

CINGAPURA (Reuters) - A adoção da tecnologia que indica se a bola entrou no gol seria mais barata e tão confiável quanto a solução adotada pela Fifa, de colocar dois árbitros assistentes junto à linha de fundo, segundo um dos fabricantes dessa tecnologia.

A Uefa, entidade que dirige o futebol europeu, ampliará nesta temporada o uso dos cinco árbitros para alguns jogos da Liga dos Campeões e das eliminatórias para a Eurocopa, depois de testes bem sucedidos na Liga Europa. Outros países, incluindo o Brasil, também vão adotar os assistentes extras.

Mas a empresa alemã Cairos Technologies acha que a solução tecnológica seria preferível. "Você precisa pagar um árbitro a cada vez, para cada jogo, e mais dois árbitros, isso é mais caro do que ter a tecnologia da linha do gol", disse Mario Hanus, diretor de vendas da Cairos, em entrevista à Reuters durante o fórum de negócios esportivos Soccerex, nesta semana em Cingapura.

Representantes da Uefa não foram imediatamente localizados para comentar.

A discussão sobre o uso da tecnologia na arbitragem do futebol se intensificou depois de um incidente na Copa do Mundo da África do Sul, quando a arbitragem não validou um gol da Inglaterra contra a Alemanha, embora a bola tivesse passado mais de 30 centímetros da linha do gol.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, pediu desculpas à Inglaterra e disse que o uso da tecnologia seria discutido na próxima reunião da International Board, órgão que define as regras do esporte.

Na semana passada, no entanto, a entidade divulgou a pauta da sua reunião de trabalho, sem contemplar a questão tecnológica. Hanus disse que ficou frustrado com isso.

"Foi um pouco surpreendente, já que tivemos tantas vozes pedindo a tecnologia, jogadores, árbitros, alguns dirigentes de clubes etc.. Acho que a Bundesliga (liga alemã) estaria preparada para introduzi-la. Os árbitros de todo o globo dizem: 'Por favor, nós é que levamos a culpa se tomamos a decisão errada'."   Continuação...

 
<p>A discuss&atilde;o sobre o uso da tecnologia na arbitragem do futebol se intensificou depois de um incidente na Copa do Mundo da &Aacute;frica do Sul, quando a arbitragem n&atilde;o validou um gol da Inglaterra contra a Alemanha. 27/06/2010 REUTERS/Eddie Keogh</p>