August 1, 2010 / 8:48 PM / 7 years ago

Barrichello ataca "desleal" Schumacher

4 Min, DE LEITURA

<p>Michael Schumacher da Mercedes durante GP da Hungria no Hungaroring. O brasileiro Rubens Barrichello criticou seu antigo companheiro de Ferrari neste domingo por aquilo que ele disse ter sido a mais perigosa manobra j&aacute; feita contra ele. 01/08/2010Balint Meggyesi</p>

Por Alan Baldwin

BUDAPESTE (Reuters) - O brasileiro Rubens Barrichello criticou seu antigo companheiro de Ferrari Michael Schumacher neste domingo por aquilo que ele disse ter sido a mais perigosa manobra já feita contra ele.

"Eu gosto de uma disputa leal. Mas o que ele fez aqui não foi leal," disse o piloto da Williams à TV Sky da Alemanhano Grande Prêmio da Hungria.

"Se Michael quer ir para o céu eu realmente não me importo. mas eu não quero ir antes dele."

Barrichello chegou ao 10 lugar e conquistou o último ponto da corrida enquanto Schumacher, retornando à Fórmula Um com 41 anos após três anos de aposentadoria, foi o 11 pela Mercedes.

Os fiscais declararam que o heptacampeão mundial, ao forçar perigosamente Barrichello contra o muro e fora da pista enquanto tentava evitar a passagem da Williams, "impediu ilegitimamente" o brasileiro.

Schumacher recebeu uma punição de 10 posiçõs no grid de classificação para a próxima corrida, o seu favorito Grande Prêmio da Bélgica no final deste mês.

"Ele se manteve no caminho enquanto eu já tentava ultrapassá-lo por fora," Barrichello disse aos repórteres no motorhome da Williams. "Tive sorte de o muro ter acabado."

"Eu estava a milímetros do muro," acrescentou Barrichello, que passou seis anos na Ferrari com Schumacher onde o alemão era regularmente beneficiado com tratamento preferencial.

O Mesmo Schumacher

Barrichello descreveu a ação de Schumacher como "provavelmente uma das piores" que ele vivenciou e disse que a ação foi necessária porque ele era o principal modelo para os mais jovens.

"Obviamente hoje eu não poderia desistir de nada," ele disse.

"Se nós tivéssemos nos tocado, Eu penso que ele poderia raspar no muro e bater com a cabeça. Então foi mais perigoso para ele, porque ele estava vindo. Eu não podia me mover mais adiante para a direita porque o muro estava ali.

"Se você tirar uma foto do muro e nós, verá que não podia passar um fio de cabelo por ali. É inacreditável... Eu estou muito feliz e me sentindo com muita sorte por estarmos aqui para falar."

Barrichello disse que não tinha falado com Schumacher porque fazer isso seria inútil.

"Você conhece Michael, você fala com ele e ele sempre diz que ele está certo... Ele parou por três anos e podemos ver que ele não mudou. Ele ainda é o mesmo cara.

"Ele está carregando algoHe's carrying something from the past that is not necessary today," he added.

Schumacher, cujo retorno tem desapontado aqueles que esperavam que ele estivesse entre os vencedores, desconsiderou as reclamações de Barrichello.

"Nós sabemos que certos pilotos tês seus pontos de vista, então há o do Rubens...," disse ele à BBC.

"Tanto que eu estava preocupado que houvesse espaço suficiente para ele passar por lá. mas é claro que eu queria fazer da vida dele o mais difícil possível," disse Schumacher.

Reportagem adicional por Erik Kirschbaum em Berlin e Tom Pilcher em Londres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below