Schumacher pede desculpas a Barrichello por fechada na Hungria

segunda-feira, 2 de agosto de 2010 15:32 BRT
 

Por Alan Baldwin

BUDAPESTE (Reuters) - O piloto alemão Michael Schumacher pediu desculpas ao brasileiro Rubens Barrichello, nesta segunda-feira, por praticamente jogar o ex-companheiro de Ferrari contra o muro, a 300 quilômetros por hora, durante o Grande Prêmio da Hungria no domingo.

O heptacampeão mundial disse em seu site (www.michael-schumacher.de) que concorda com a decisão dos comissários de lhe aplicar uma punição de 10 posições no grid da próxima corrida, o Grande Prêmio da Bélgica, no final deste mês.

"Depois de assistir ao incidente com Rubens novamente, tenho de dizer que os comissários estavam certos em sua avaliação, a manobra contra ele foi muito dura", disse o alemão.

"Queria tornar a ultrapassagem dele difícil... Não estava tentando colocá-lo em perigo com minha manobra. Se ele teve esse sentimento, então peço desculpas. Não era minha intenção."

O piloto da Mercedes terminou a corrida do domingo em 11o, enquanto Barrichello conseguiu um ponto com a 10a posição após manter-se firme e ultrapassar o ex-companheiro de equipe.

Schumacher, que está de volta à Fórmula 1 aos 41 anos e após três anos de aposentadoria, disse que a corrida de domingo foi uma das mais difíceis desde que ele voltou a competir.

"Foi bastante duro dirigir o carro no limite, então eu tive de lutar durante a corrida e no final era como se eu tivesse caminhando sobre gelo", disse Schumacher, que já conseguiu 91 vitórias em sua carreira, mas ainda não conseguiu chegar ao pódio nesta temporada.

No domingo ele havia considerado a disputa com Barrichello como uma "batalha dura, mas é para isso que estamos aqui", embora ele tenha considerado a decisão dos comissários rígida demais.   Continuação...

 
<p>Schumacher acena em Hungaroring. O piloto alem&atilde;o Michael Schumacher pediu desculpas ao brasileiro Rubens Barrichello nesta segunda-feira por praticamente jogar o ex-companheiro de Ferrari contra o muro a 300 quil&ocirc;metros por hora durante o Grande Pr&ecirc;mio da Hungria no domingo.01/08/2010.REUTERS/Laszlo Balogh</p>