Evra quer voltar à seleção francesa apesar de suspensão

segunda-feira, 9 de agosto de 2010 11:07 BRT
 

PARIS (Reuters) - O lateral-esquerdo da França Patrice Evra, que foi suspenso por ter liderado um protesto dos jogadores durante a Copa do Mundo, não vê motivos para ficar de fora da seleção e deseja voltar a vestir as cores do país.

Evra era o capitão da equipe que boicotou um treino na África do Sul em apoio ao atacante Nicolas Anelka, que foi cortado da equipe por ter insultado o técnico Raymond Domenech.

O jogador do Manchester United foi um dos cinco jogadores convocados a depor pela Federação Francesa de Futebol (FFF) este mês para explicar os acontecimentos durante o Mundial.

O ex-jogador da França e atual dirigente da federação Lilian Thuram defendeu que Evra não volte nunca mais a jogar pela seleção, mas o lateral-esquerdo disse que gostaria de deixar os episódios da África do Sul no passado.

"Estou surpresa, tinha a impressão que todo mundo queria virar a página da Copa do Mundo", disse Evra ao jornal francês Le Figaro, em entrevista publicada nesta segunda-feira.

"Precisamos pensar no futuro. Por que nos punir (os cinco jogadores intimados) mais do que os outros?".

Laurent Blanc, que assumiu como técnico da França no lugar de Domenech ap;os o Mundial, optou por deixar os 23 jogadores da Copa do Mundo de fora de seu primeiro jogo, o amistoso de quarta-feira contra a Noruega.

Mas o treinador já afirmou que depois dessa partida todos os jogadores estarão liberados para retornar ao time, e Evra está confiante.

"Não consigo imaginar o meu futuro sem a seleção francesa", disse.

Além de Evra, os outros jogadores convocados a depor pela FF são Anelka, Eric Abidal, Franck Ribéry e Jeremy Toulalan.

(Por Patrick Vignal)

 
<p>Capit&atilde;o da sele&ccedil;&atilde;o francesa Patrice Evra ao deixar o aeroporto de Le Bourget, em Paris, ap&oacute;s a derrota da Fran&ccedil;a na Copa do Mundo. Evra, que foi suspenso por liderar um protesto dos jogadores durante a Copa, n&atilde;o v&ecirc; motivos para n&atilde;o voltar &agrave; sele&ccedil;&atilde;o. 24/06/2010 REUTERS/Benoit Tessier</p>