Brasil começa nova era sob pressão, como sempre

terça-feira, 10 de agosto de 2010 12:39 BRT
 

Por Simon Evans

EAST RUTHERFORD (Reuters) - A seleção brasileira começa nesta terça-feira contra os Estados Unidos uma nova era com uma equipe jovem e renovada, mas já sob pressão.

O ex-treinador do Corinthians, Mano Menezes, foi o escolhido para reestruturar a equipe com vistas aos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e o Mundial de 2014 que acontecerá no Brasil, após a demissão de Dunga depois da derrota para a Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.

"Vestir a camisa do Brasil sempre cria pressão e toda vez que nós entramos em campo a responsabilidade sempre é muito grande", disse o jogador do Barcelona Daniel Alves, um dos quatro remanescentes no atual time da equipe que disputou a Copa.

Os jovens do Santos Paulo Henrique Ganso e Neymar, que ficaram de fora do Mundial apesar do apelo popular, estão entre os 10 jogadores convocados pela primeira vez para defender a seleção, e já serão titulares.

O atacante do Milan Alexandre Pato e o volante do Liverpool Lucas, que ficaram de fora da Copa, também começarão jogando.

O time confirmado por técnico Mano Menezes será formado por Victor, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Ramires e Paulo Henrique Ganso; Robinho, Neymar e Alexandre Pato.

"É um novo começo para todo mundo. Depois da Copa do Mundo, a pressão é maior, especialmente porque vamos sediar a próxima Copa do Mundo e as pessoas realmente esperem que a gente ganhe", disse Lucas. "Esperamos começar um bom trabalho que termine com uma vitória em 2014."

Jogadores importantes da seleção nos últimos anos, incluindo o goleiro Julio César, os defensores Maicon e Lúcio e o lesionado meia Kaká ficaram de fora da primeira convocação de Mano Menezes.   Continuação...

 
<p>Jogadores da sele&ccedil;&atilde;o brasileira Neymar (centro), Diego Tardelli (esq) e Andr&eacute; (dir) correm durante sess&atilde;o de treino em Nova Jersey. A sele&ccedil;&atilde;o brasileira joga nesta ter&ccedil;a-feira contra os Estados Unidos. 09/08/2010 REUTERS/Mike Segar</p>