Fifa vai investigar suposta punição a seleção norte-coreana

quarta-feira, 11 de agosto de 2010 12:18 BRT
 

Por Patrick Johnston

CINGAPURA (Reuters) - A Fifa iniciou uma investigação sobre as supostas punições impostas pelo governo da Coreia do Norte ao técnico e aos jogadores da seleção do país após a eliminação na primeira fase da Copa do Mundo da África do Sul.

Uma rádio asiática disse no mês passado que o elenco norte-coreano, a exceção dos dois atletas que jogam no exterior, foram submetidos a "críticas ideológicas severas" por ter perdido as três partidas disputadas e sofrido o maior número de gols da Copa do Mundo.

"Enviamos uma carta à federação de futebol para nos dizerem sobre a eleição de um novo presidente e para saber se as alegações feitas pela mídia de que o técnico e alguns jogadores foram punidos são verdadeiras", disse o presidente da Fifa, Joseph Blatter, nesta quarta-feira.

"Estamos fazendo isso como um primeiro passo, e vamos ver como eles respondem."

Após iniciar sua segunda participação numa Copa do Mundo com uma derrota animadora por 2 x 1 contra o Brasil, a Coreia do Norte foi humilhada por 7 x 0 por Portugal e perdeu por 3 x 0 para a Costa do Marfim.

Blatter disse que a investigação foi iniciada depois que o membro do comitê executivo da Fifa Chung Mong-joon, da Coreia do Sul, tinha fornecido novas informações sobre o caso.

O presidente da Confederação Asiática de Futebol, Mohamed Bin Hammam, que recentemente viajou para a nação comunista, disse que espera ter os resultados da investigação.

"Houve uma notícia não confirmada de que esses jogadores foram submetidos a tortura ou algo assim, mas eu não posso confirmar. Eu não vi nada com os meus olhos nem ouvi nada com os meus ouvidos. Talvez essa investigação da Fifa possa esclarecer", disse.

Blatter, Bin Hammam e Chung estão em Cingapura para a primeira edição dos Jogos Olímpicos da Juventude.