ENTREVISTA-Rogge nega desavença entre Israel e Irã nos Jogos

terça-feira, 17 de agosto de 2010 12:10 BRT
 

Por Patrick Johnston

CINGAPURA (Reuters) - O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, rejeitou uma alegação da delegação de Israel de que um atleta iraniano teria se retirado de uma competição para evitar um confronto com um atleta israelense na primeira edição da Olimpíada da Juventude.

Mohammad Soleimani se retirou da final da competição masculina de taekwondo, categoria 48 quilos, contra o israelense Gili Haimovitz, no domingo, por conta de uma lesão no tornozelo, e Rogge disse à Reuters que não havia motivos para duvidar de sua contusão.

"O atleta não participou da competição por causa de uma lesão no pé", disse Rogge nesta terça-feira.

"Ele foi levado ao hospital, examinado por um médico de Cingapura, totalmente independente, não pertencente à organização, e ele o diagnosticou com uma torção no tornozelo. Para nós, esse é o fim da história", acrescentou.

Segundo o jornal de Cingapura The Straits Times desta terça-feira, o chefe da delegação israelense, Daniel Oren, disse não acreditar no motivo da desistência.

"Para ser sincero, uma vez que nosso garoto chegou à final, sabíamos que isso aconteceria. Estamos lidando com esportes aqui, esportes para jovens, de fato. É uma pena que a política tenha entrado no meio."

Os dois países são arqui-inimigos, e o Irã se recusa a aceitar a existência de Israel.

Pressionado novamente sobre a lesão do atleta iraniano, Rogge respondeu em tom mais severo. "Se eu tenho um certificado médico, como é o caso, de um médico independente, dizendo que o jovem não poderia participar, para mim esse é o final da história."   Continuação...

 
<p>Presidente do Comit&ecirc; Ol&iacute;mpico Internacional, Jaques Rogge, em foto de arquivo REUTERS/Yiorgos Karahalis</p>