Inglaterra promete à Fifa candidatura 'imbatível' para Copa-2018

segunda-feira, 23 de agosto de 2010 15:39 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - A candidatura da Inglaterra para a Copa do Mundo de 2018 será imbatível, disse na segunda-feira o vice-primeiro-ministro Nick Clegg a delegados da Fifa que inspecionam instalações no país.

Ao receber a delegação em Downing Street, no início de uma visita de inspeção de quatro dias, Clegg afirmou que o novo governo de coalizão compartilha o compromisso do governo anterior, trabalhista, com a candidatura.

A Inglaterra, que sediou uma Copa do Mundo pela última vez em 1966, compete com Rússia, EUA, e as candidaturas conjuntas de Portugal/Espanha e Bélgica/Holanda para organizar a competição daqui a oito anos.

A Fifa anunciará o país-sede em 2 de dezembro em Zurique.

"Acredito que essa seja uma candidatura excepcionalmente forte, imbatível. Nós, neste governo, acreditamos nela, esperamos que vocês também acreditem", afirmou Clegg na saudação de boas-vindas.

"Há um governo de coalizão relativamente novo no Reino Unido e queremos enfatizar a vocês que os compromissos, as declarações e as garantias fornecidas a vocês pelo governo anterior têm 100 por cento do nosso apoio."

"Uma das primeiras coisas que fizemos quando criamos este novo governo de coalizão foi escrever no nosso acordo fundador da coalizão nossa disposição em apoiar até o fim a candidatura da Inglaterra 2018", completou.

A coalizão entre os liberais-democratas, de Clegg, e os conservadores, do primeiro-ministro David Cameron, que está de férias, foi formada em maio depois que nenhum partido obteve uma maioria expressiva no Parlamento após uma eleição geral.

Um dos pontos principais da candidatura inglesa é seu compromisso em legar projetos para o desenvolvimento internacional do futebol.

Andy Anson, CEO da candidatura inglesa, afirmou que iria "focar no que podemos fazer pelo futebol ao redor de todo o mundo".

 
<p>Dirigentes da Fifa posam para foto diante do est&aacute;dio de Wembley, em Londres. 23/08/2010 REUTERS/Andrew Winning</p>