Com 300 GPs,Barrichello diz que esse recorde Schumacher não terá

quinta-feira, 26 de agosto de 2010 16:56 BRT
 

Por Alan Baldwin

SPA-FRANCORCHAMPS, Bélgica (Reuters) - Michael Schumacher pode desistir se está achando que um dia vai tirar de Rubens Barrichello o recorde de maior número de GPs disputados na Fórmula 1.

O brasileiro chega à marca de 300 corridas neste fim de semana na Bélgica, mais de dois anos depois de ter tirado o recorde de longevidade que pertencia a Riccardo Patrese, 256 GPs.

Schumacher, voltando à F1 aos 41 anos, após três de aposentadoria, fará sua 263a corrida, mas Barrichello disse nesta quinta-feira à Reuters que o heptacampeão, seu ex-colega da Ferrari, não irá ultrapassá-lo.

"Vou definitivamente correr enquanto ele correr", riu Barrichello, de 38 anos, vestindo uma camiseta com um velocímetro superando a marca dos 300.

Para alguns, o fim da carreira acontece quando já não se tem mais esperança de ganhar o título mundial, ou o piloto perde o interesse de dar voltas nos circuitos.

Barrichello, que começou na categoria em 1993, pela Jordan, parece amar o automobilismo mais do que nunca. Chega a dizer que está em melhor forma física hoje do que há 18 anos.

"Mentalmente, estou provavelmente melhor do que a qualquer outro momento. Você tem o seu corpo se acostumando à Fórmula 1 também, e isso é parte do que eu digo... eu me sinto melhor hoje do que antes."

Para se ter uma ideia da longevidade de Barrichello, o brasileiro já disputou mais de um terço -- 36 por cento, para ser exato -- das corridas desde o primeiro campeonato, em 1950 (nos primórdios, cada temporada tinha bem menos provas que hoje em dia).   Continuação...

 
<p>Rubens Barrichello, da Williams, caminha no paddock de Spa Francorchamps na v&eacute;spera do GP da B&eacute;lgica de F&oacute;rmula 1. REUTERS/Francois Lenoir</p>