Nova asa dianteira nos carros faz diferença, dizem equipes

sábado, 28 de agosto de 2010 18:19 BRT
 

SPA-FRANCORCHAMPS (Reuters) - Novos testes de estresse, introduzidos no Grande Prêmio da Bélgica após os questionamentos sobre as asas dianteiras de Ferrari e Red Bull, tiveram um efeito imediato, de acordo com equipes rivais.

Embora a Red Bull tenha garantido sua 12a pole position em 13 corridas, o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, e o da Mercedes, Ross Brawn, concordaram haver uma diferença visível.

"Eu não estava lá muito confiante de que (o problema) seria solucionado, mas tenho que dizer... as asas mostraram uma rigidez e uma influência no posicionamento que não tinham em outras corridas", disse Whitmarsh aos repórteres após os treinos classificatórios deste sábado.

A Fia impôs testes mais severos nas asas dianteiras depois que alguns times pediram um esclarecimento por meio de fotos que davam a entender que as asas estavam se flexionando mais baixo em alta velocidade do que permite o regulamento.

Um novo endurecimento das regras é esperado para o GP da Itálua em Monza em quinze dias.

"Acho que todos nós podemos ver que o que estava visível nas últimas corridas não parece ser o caso aqui", disse Brawn.

"Não sei o que aconteceu, mas visualmente me parece diferente."

Lewis Hamilton se classificou na primeira fila com sua McLaren ao lado da Red Bull do líder do campeonato Mark Webber, cuja volta mais rápida na terceira e última parte do treino foi somente 0seg085 mais rápida do que a melhor de Hamilton.

Na Hungria, a Red Bull Sebastian Vettel foi 1seg7 mais rápida que o britânico na bateria de treinos.   Continuação...