Paraguaio Cabañas era amigo do seu agressor, diz traficante

quarta-feira, 1 de setembro de 2010 20:30 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O atacante paraguaio Salvador Cabañas era amigo do homem que lhe deu um tiro na cabeça num bar da Cidade do México neste ano, segundo depoimento do traficante Edgar "La Barbie" Valdez, preso nesta semana.

Cabañas, da seleção paraguaia e do clube mexicano América, foi baleado em janeiro por José Jorge Balderas, o JJ, colaborador de Valdez que está foragido. O motivo do crime aparentemente foi uma discussão sobre futebol.

A pedido das autoridades mexicanas, o jogador depôs há um mês perante um juiz paraguaio, mas não conseguiu reconhecer o agressor e teve apenas lembranças vagas de alguns lugares.

"Eu o recriminei (a Balderas)", disse Valdez durante depoimento à Polícia Federal mexicana, publicado na quarta-feira.

"Os dois eram amigos, mas como o Cabañas andava numa fase ruim, começaram a discutir", acrescentou o traficante em outro trecho do interrogatório, difundido pelo jornal Reforma.

Valdez disse que, após o crime contra Cabañas, ele deu abrigo a Balderas durante três meses num "escritório" seu perto da capital.

Considerado um dos mais violentos chefes do tráfico no México, responsável por dezenas de homicídios cruéis, Valdez foi preso na segunda-feira no Estado do México, vizinho à capital.

Cabañas foi operado depois do tiro, mas a bala continua alojada na sua cabeça.

 
<p>Salvador Cabanas com placa da associa&ccedil;&atilde;o nacional de futebol do Paraguai, recebendo homenagem de sua equipe antes do amistoso contra a Costa Rica em Assun&ccedil;&atilde;o. Segundo um depoimento, Caba&ntilde;as era amigo do homem que lhe deu um tiro na cabe&ccedil;a. 11/08/2010 REUTERS/Jorge Adorno</p>