Federação boliviana evita leilão após intervenção da Fifa

domingo, 19 de setembro de 2010 13:50 BRT
 

LA PAZ (Reuters) - A Federação Boliviana de Futebol evitou temporariamente o leilão de sua sede principal, embargada por conta de uma antiga dívida tributária, graças a uma intervenção direta da Fifa ante o presidente Evo Morales, informou no domingo o governo de La Paz.

A ameaça de leilão será suspensa definitivamente em três anos, caso a federação local (FBF) pague as parcelas da dívida equivalente a 2,1 milhões de dólares, que a deixou à beira de uma declaração formal de falência.

O governo divulgou no domingo uma carta de Morales ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, na qual o mandatário confirmou o acordo após uma visita que lhe fizeram na última quinta-feira três emissários da Fifa e da Confederação Sul-Americana (Conmebol) para defender a FBF.

"Produto desse encontro, e em consulta a advogados, tal como estritamente dispõe a lei, conseguiu-se estabelecer um novo cronograma de pagamento para saldar a dívida que tem a FBF com Serviço de Impostos Nacionais da Bolívia", diz a nota.

Morales advertiu, no entanto, que o problema tributário é apenas uma parte "da crise que afeta a liderança" do futebol boliviano.

Jornais locais disseram na sexta-feira que a FBF pagou ao Serviço de Impostos o equivalente a 800.000 dólares, emprestados pela Fifa e pela Conmebol, e pagará posteriormente 36 parcelas mensais, de cerca de 37.000 dólares cada uma, saldo da dívida que se arrasta desde 1994.

O presidente boliviano, um apaixonado pelo futebol que mantém uma estreita relação com Blatter, foi recentemente chamado a fazer "mudanças profundas" na FBF para buscar, como primeiro grande objetivo, a classificação da Bolívia para o Mundial do Brasil em 2014.

A Bolívia, cuja única presença em um Mundial via classificação foi nos Estados Unidos em 1994, fracassou nas últimas eliminatórias sul-americanas para os quatro últimos Mundiais.

(Reportagem de Carlos A. Quiroga)