Forlán está satisfeito no Atlético, mas aguarda propostas

segunda-feira, 4 de outubro de 2010 16:20 BRT
 

Por Mark Elkington

MADRI (Reuters) - O herói do Uruguai na Copa do Mundo Diego Forlán ficaria tentado a deixar o Atlético de Madri se recebesse a proposta certa, mas a chuva de gols nas últimas temporadas ainda não resultou em um convite concreto.

O atacante de 31 anos saiu do Uruguai para a Argentina e depois jogou no Manchester United e no Villarreal antes de chegar ao Atlético, onde construiu a reputação de ser um dos maiores goleados do mundo.

Ele conquistou sua segunda chuteira de ouro por marcar 32 gols na temporada 2008-09, liderou o Atlético ao título da Liga Europa este ano e foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo da África do Sul, onde levou o Uruguai às semifinais.

Toda essa exposição, aliada com a não classificação do Atlético para a Liga dos Campeões, despertou especulações sobre a saída de Forlán, mas o jogador garantiu nesta quarta-feira que não recebeu nenhuma proposta de clubes maiores.

"Isso é coisa dos jornais. Nunca, até agora, nunca recebi nenhuma oferta", disse Forlán à Reuters em entrevista no centro de treinamento do clube, quando perguntado se as especulações sobre propostas eram falsas ou verdadeiras.

"Se você receber uma oferta, pode decidir se quer sair ou se quer ficar. Se existir uma boa proposta e eu tiver uma chance de sair, eu vou. Como eu sempre digo, se eu vim aqui para a Europa, deixei minha casa e todo mundo, então não estou ligado a nenhum clube", afirmou.

"Você olha para a melhor proposta e, se tiver uma chance que é boa e boa para o clube também, eu não vejo nenhum problema. Os jornais dizem várias coisas, mas neste momento eu estou aqui. Tenho contrato com o clube e não há nada mais a dizer."

 
<p>Diego Forl&aacute;n, do Atl&eacute;tico Mardid, em entrevista &agrave; Reuters. O her&oacute;i do Uruguai na Copa do Mundo ficaria tentado a deixar o Atl&eacute;tico de Madri se recebesse a proposta certa, mas a chuva de gols nas &uacute;ltimas temporadas ainda n&atilde;o resultou em um convite concreto. 04/10/2010 REUTERS/Susana Vera</p>