Inglaterra abandona proposta por Copa-2022; EUA desistem de 2018

sexta-feira, 15 de outubro de 2010 15:23 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Inglaterra desistiu oficialmente da disputa para sediar a Copa do Mundo de 2022 para se focar na candidatura pelo Mundial de 2018, enquanto os Estados Unidos tomaram o caminho oposto, nesta sexta-feira.

"Agora estamos concentrando todos os nossos esforços na candidatura de 2018", disse o porta-voz do comitê organizador da Inglaterra, Phil Mepham. "É puramente logístico, e nada mais."

Os Estados Unidos, ao contrário, desistiram da candidatura para organizar a Copa de 2018 e vão se focar inteiramente na proposta pelo Mundial de 2022, informou o comitê da candidatura do país nesta sexta-feira.

"Por algum tempo estamos conversando com a Fifa e a Uefa sobre a possibilidade de nos concentrarmos no processo de candidatura de 2022, uma opção que fizemos referência várias vezes", disse Sunil Gulati, presidente da Federação de Futebol dos EUA e chefe da candidatura do país para o Mundial.

"Estamos confiantes que isso é o melhor para a candidatura dos EUA", acrescentou.

Com as desistências, Inglaterra, Rússia e as candidaturas conjuntas de Espanha-Portugal e Bélgica-Holanda seguem na disputa para sediar a Copa de 2018, enquanto o Catar, os EUA, a Coreia do Sul, o Japão e a Austrália competirão pelo torneio de 2022.

A China já demonstrou interesse em sediar a Copa do Mundo de 2026, uma medida que alguns observadores veem como uma potencial ajuda para que os EUA organizem o Mundial de 2022, uma vez que países de um mesmo continente -- neste caso a Ásia -- não podem realizar torneios consecutivos.

A Copa de 2014 será realizada no Brasil.

(Reportagem de Simon Evans em Miami e Martyn Herman em Londres)