Liverpool é vendido para donos de time de beisebol dos EUA

sexta-feira, 15 de outubro de 2010 20:16 BRT
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Terminou na sexta-feira a turbulenta venda do Liverpool, uma transação de 300 milhões de libras (480,4 milhões de dólares) bancada pelos donos do time norte-americano de beisebol Boston Red Sox.

A empresa New England Sports Ventures (NESV) disse que o negócio, recebido com euforia pela torcida, eliminou todas as dívidas de aquisições que haviam sido deixadas pelos ex-proprietários George Gillett e Tom Hicks. Afastados do time, os dois norte-americanos disseram que a transação foi uma "fraude épica" e uma "conspiração organizada".

Os novos donos acrescentaram que os custos da dívida caíram de 25-30 milhões de libras por ano para 2-3 milhões, o que pode significar uma sobra de recursos significativa para melhorar o futebol do Liverpool, que anda em má fase.

"Como qualquer torcedor do Liverpool sabe, a forma mais enervante de ganhar é na disputa de pênaltis", disse o presidente Martin Broughton a jornalistas em frente à sede de um escritório londrino de advocacia, onde a transação foi anunciada.

"Mas afinal de contas, desde que você consiga o resultado certo, a espera vale a pena. Conseguimos o resultado certo", disse Broughton, que será mantido no clube para supervisionar a transição.

Mas o Liverpool ainda pode ser alvo de uma longa batalha jurídica, pois os advogados de Hicks e Gillett prometeram lutar com "todas as energias legais" para obter uma indenização de 1,6 bilhão de dólares.

Eles também disseram que pretendem voltar à Alta Corte de Londres como parte dessa empreitada, e alguns analistas sugerem que a disputa pode se arrastar por anos.

"Francamente, acho que é o começo de um longo livro, e não o capítulo final", disse Rick Horrow, conferencista de temas esportivos na Escola de Direito de Harvard.