17 de Outubro de 2010 / às 17:26 / 7 anos atrás

Escolha das sedes não deve ser adiada, diz Blazer

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - É pouco provável que a Fifa adie a decisão de quais países serão sede das Copas do Mundo de 2018 e 2022 após uma reportagem sobre venda de votos, disse neste domingo Chuck Blazer, membro do comitê executivo da entidade.

Blazer, falando à Reuters em entrevista por telefone de sua casa em Nova Iorque, disse esperar que o Comitê de Ética da Fifa lide rapidamente com as alegações e não vê razão para a Fifa mudar a decisão agendada para 2 de dezembro.

"O Comitê de Ética vai abordar diretamente estas questões e não deverá levar muito tempo para ter conhecimento de todos os fatos", disse Blazer.

"A data de 2 de dezembro foi escolhida especificamente à frente da 'temporada política' de congressos e eleições, e eu não vejo razão para ser adiada", acrescentou.

"A investigação pode começar imediatamente. Não há razão para que não seja assim."

A Fifa disse que irá investigar a reportagem do jornal Sunday Times afirmando que dois membros do comitê executivo teriam se oferecido para vender seus votos na disputa pela sede da Copa do Mundo de 2018.

O jornal disse que as ofertas foram feitas a seus repórteres que trabalhavam disfarçados e posando de lobistas de um consórcio de empresas privadas norte-americanas.

A reportagem afirma que o nigeriano Amos Adamu foi filmado pedindo dinheiro para um projeto pessoal e que o presidente da Confederação de Futebol da Oceania, Reynald Temarii, do Taiti, queria dinheiro para uma academia esportiva.

TOTALMENTE PROFISSIONAL

Blazer disse à Reuters: "É claro que eu não posso comentar esses casos individualmente, mas o que eu vou dizer é que me reuni com cinco comissões de licitação e em alguns casos visitei os países-candidatos".

"Todos os licitantes que eu encontrei foram totalmente profissionais em suas apresentações, não fazendo qualquer alusão sobre outros tipos de benefícios em momento algum... Eles estão simplesmente tentando oferecer as melhores propostas de organização de uma Copa do Mundo", afirmou.

"Não acho que existe algo errado com o procedimento de votação. Esperamos que seja conduzido moral e eticamente baseado no bom julgamento do que foi apresentado."

Blazer disse ainda que não espera uma reação negativa da candidatura inglesa, uma vez que a matéria foi publicada em Londres.

A decisão será tomada pelo Comitê Executivo formado por 24 membros, embora uma fonte próxima que pediu para não ser identificada tenha dito que tanto Adamu quanto Temarii poderiam ser suspensos do comitê, ou mesmo banidos caso se provem as acusações contra os dois.

Inglaterra e Rússia se ofereceram para organizar a Copa de 2018, juntamente com as propostas conjuntas de Espanha/Portugal e Bélgica/Holanda.

Os candidatos para 2022 são os Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul, Catar e Austrália.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below