Fifa promete "tolerância zero" com corrupção em escolha de sedes

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 11:25 BRST
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa prometeu agir com tolerância zero diante de comportamentos antiéticos no processo de seleção das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022, em resposta a comentários feitos pelo ex-secretário-geral da entidade a jornalistas disfarçados.

"A Fifa e seu comitê de ética estão comprometidos com tolerância zero diante de qualquer quebra do código de ética no processo de escolha", disse a Fifa em comunicado nesta segunda-feira.

"A Fifa e o comitê de ética estão determinados a proteger a integridade dos processos de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022."

O jornal britânico The Sunday Times publicou uma gravação de Michel Zen-Ruffinen conversando com repórteres disfarçados sobre o processo de escolha das sedes, aumentando a controvérsia em torno do assunto.

Zen-Ruffinen, que foi secretário-geral de 1998 até 2002 -- quando deixou a entidade após criticar o presidente da Fifa Joseph Blatter -- pediu que seja realizada uma investigação externa sobre os supostos casos de corrupção.

Na semana passada, dois membros do comitê-executivo da Fifa foram suspensos provisoriamente por suspeita de terem vendido seus votos na eleição pelas duas sedes.

O nigeriano Amos Adamu e Reynald Temarii, do Taiti, foram suspensos de todas as atividades relacionados com o esporte por 30 dias enquanto o comitê de ética da Fifa investiga as acusações de que ambos teriam oferecido vender seus votos quando abordados por jornalistas do Sunday Times disfarçados como lobistas de um consórcio norte-americano.

A Fifa, que espera concluir sua investigação em meados de março, confirmou que vai incluir os comentários de Zen-Ruffenin nas investigações.   Continuação...