Espanha e Portugal negam ter feito acordo com Catar para Copa

quinta-feira, 28 de outubro de 2010 10:59 BRST
 

MADRI (Reuters) - Espanha e Portugal, candidatos a realizar em conjunto a Copa do Mundo de 2018, negaram as alegações de que teriam feito um pacto com o Catar, que pretende sediar a competição em 2022, para manipular o processo de votação.

A Fifa está investigando acusações de conluio e negociação de votos para os torneios de 2018 e 2022. Esse tipo de iniciativa é proibida e pode levar à desqualificação de candidaturas.

Na semana passada, a Fifa suspendeu provisoriamente dois membros de seu comitê executivo - que nesta quinta-feira iniciou uma reunião de dois dias para tratar do processo de candidaturas -- depois de acusações de que puseram seus votos à venda a jornalistas disfarçados, que realizavam uma reportagem para um diário britânico.

"A candidatura ibérica já informou à Fifa na semana passada que não fechou nenhum acordo com qualquer outra nação candidata", disse Miguel Angel López, executivo-chefe da candidatura portuguesa/espanhola, em um comunicado divulgado nesta quinta-feira. O texto diz que se ofereceram para cooperar integralmente com a investigação da Fifa.

O comitê executivo da Fifa deve anunciar as sedes das Copas de 2018 e 2022 em 2 de dezembro, em Zurique, na Suíça.

Rússia, Inglaterra, Espanha/Portugal e Bélgica/Holanda disputam a realização da Copa de 2018, e Japão, Coreia do Sul, Austrália, Estados Unidos e Catar, a de 2022.

(Reportagem de Iain Rogers)

 
<p>Funcion&aacute;rio em frente &agrave; sede da Fifa em Zurique. Espanha e Portugal, candidatos a realizar em conjunto a Copa do Mundo de 2018, negaram as alega&ccedil;&otilde;es de que teriam feito um pacto com o Catar, que pretende sediar a competi&ccedil;&atilde;o em 2022, para manipular o processo de vota&ccedil;&atilde;o. 20/10/2010 REUTERS/Christian Hartmann</p>