Inglaterra supera Alemanha em receita de patrocínio de camisas

quinta-feira, 28 de outubro de 2010 13:29 BRST
 

Por Iain Rogers

MADRI (Reuters) - A Premier League inglesa superou a Bundesliga, da Alemanha, como campeonato nacional com maiores ganhos de patrocínio em camisas de clubes, de acordo com um estudo da consultoria Sport+Markt publicado nesta quinta-feira.

Apesar dos tempos difíceis para a economia britânica, os acordos de patrocínios dos 20 clubes do Campeonato Inglês somaram 128 milhões de euros (177 milhões de dólares) para a temporada 2010/2011, comparado com 118,5 milhões das equipes da liga da Alemanha, mostrou o estudo.

Os clubes ingleses, que também lideram o faturamento em direitos de televisão, aumentaram suas receitas de patrocínio em relação aos 83,5 milhões de euros da temporada anterior, enquanto o faturamento na Alemanha era de 108,6 milhões de euros.

O Campeonato Italiano ficou em terceiro lugar no ranking, com 65,9 milhões de euros, seguido pela Ligue 1, da França, com 58,8 milhões, e a La Liga, da Espanha, com 57,5 milhões. A Holanda ficou na sexta posição, com 42 milhões de euros.

A Serie A, da Itália, foi a única liga das cinco principais que perdeu receita em relação ao ano anterior, quando os principais clubes do país tinham arrecadado 74 milhões de euros. Isso ocorreu particularmente pelo fato de a Lazio e a Fiorentina estarem atualmente sem patrocínio na camisa.

A maioria dos clubes espanhóis ainda tem dificuldade em atrair investidores lucrativos, mas se o Barcelona, atual campeão e clube com maior número de torcedores, optasse por ter patrocínio na camisa, a liga poderia subir no ranking.

O Barcelona paga ao Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), 1,5 milhão de euros por ano para estampar o logo da organização.

Novos acordos para os ingleses Manchester United e Liverpool, com a corretora de seguros AON e o banco Standard Chartered, respectivamente, foram os dois contratos mais valiosos, com 23,6 milhões de euros cada um, seguidos pelo acordo do Real Madrid com o site de apostas na internet bwin, por 23 milhões de euros.