Perdemos um "gladiador" com a morte de Kirchner, diz Maradona

sexta-feira, 29 de outubro de 2010 10:03 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O ex-técnico da seleção argentina Diego Maradona disse na quinta-feira que a Argentina perdeu um "gladiador" com a morte do ex-presidente Néstor Kirchner.

Milhares de pessoas estiveram na Casa Rosada para despedir-se do líder peronista, marido da atual presidente do país, Cristina Fernández Kirchner.

"Para a gente, perdê-lo é terrível. A Argentina perdeu um gladiador, um homem que arriscou sempre e que nos tirou do poço e que era respeitável em tudo", disse Maradona ao sair da sede do governo.

"Eu não tive uma grande amizade com ele, mas o pouco contato que eu tive me pareceu um cara que arriscava por seus ideais", acrescentou.

Passaram também pela Casa Rosada presidentes latino-americanos, funcionários públicos e artistas.

Kirchner, que tinha 60 anos e governou a Argentina entre 2003 e 2007, morreu na quarta-feira pela manhã devido a problemas cardíacos na cidade de El Calafate, no extremo sul do país.

(Por Karina Grazina)

 
<p>A presidente argentina, Cristina Kirchner e Diego Maradona no vel&oacute;rio do ex-presidente N&eacute;stor Kirchner, no pal&aacute;cio presidencial. 28/10/2010 REUTERS/Argentine Presidency</p>