Hamilton vê disputa pelo título aberta e agora quer tempo seco

quinta-feira, 4 de novembro de 2010 14:28 BRST
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - Ainda na disputa pelo título da Fórmula 1, Lewis Hamilton prefere que o tempo esteja seco em São Paulo no domingo, ao contrário do que aconteceu há dois anos, quando foi campeão debaixo de chuva em Interlagos.

O piloto inglês, da McLaren, está em terceiro lugar na classificação geral, com 210 pontos, 21 a menos que o líder Fernando Alonso, da Ferrari.

"Ainda tenho oportunidade, assim como os outros pilotos. Tudo pode acontecer. Esse fim de semana vai ser duro, e o outro também", disse ele sobre a corrida em São Paulo e a última prova da temporada, no dia 14, em Abu Dhabi. "Em 2007 choveu, em 2008 choveu, espero que desta vez esteja seco."

A previsão do tempo para domingo, segundo o instituto Climatempo, é de sol, com chuva de manhã e diminuição de nuvens à tarde. A corrida começa às 14h (horário de Brasília).

Hamilton mostrou seu McLaren a três brasileiros que venceram uma promoção e depois falou sobre a expectativa de voltar a Interlagos.

"A cada ano que venho aqui é sempre espetacular... Acredito que vai ser um fim de semana de muita emoção, a torcida é apaixonada e as arquibancadas devem estar lotadas", disse ele.

O piloto inglês conquistou seu único título de F1 em 2008 no GP Brasil, após uma corrida cheia de alternativas em que ele levou o campeonato apenas na última volta, superando o brasileiro Felipe Massa, vencedor daquela prova, por apenas um ponto na classificação de pilotos.

Outro que tem boas recordações de Interlagos é Jenson Button, companheiro de equipe de Button que sagrou-se campeão do ano passado também na pista paulista.

"Tenho ótimas lembranças deste lugar", afirmou Button, acrescentando que este ano poderá desfrutar mais da cidade, já que está fora da luta pelo título.

"É uma pressão diferente, desta vez estou relaxado", completou.

 
<p>Para o piloto da McLaren Lewis Hamilton, a disputa pelo t&iacute;tulo da F&oacute;rmula 1 ainda est&aacute; em aberto. REUTERS/Sergio Moraes</p>