Filme sobre Senna traz lembranças a pilotos brasileiros

quinta-feira, 4 de novembro de 2010 16:39 BRST
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - O documentário "Senna" levou os pilotos brasileiros da Fórmula 1 a lembrarem do tricampeão com saudade nesta quinta-feira.

O filme, que teve sua pré-estreia em São Paulo esta semana e chegará aos cinemas no dia 12, conta a vida do ídolo brasileiro que morreu num acidente no circuito de Ímola, na Itália, em 1994.

"É muito especial para mim. Acho que para todo mundo que é piloto é muito especial. Para as pessoas que não conheceram o Ayrton, terão uma ótima imagem do que ele foi. Não é um filme sobre automobilismo, mas um filme sobre a vida do Ayrton, as implicações que ele teve em sua vida", disse Bruno Senna, sobrinho de Ayrton e piloto da HRT, que assistiu ao filme na quarta-feira à noite.

"Me trouxe muitas lembranças, boas lembranças e algumas ruins também, claro", completou ele em entrevista coletiva em São Paulo, a três dias do Grande Prêmio do Brasil.

Lucas di Grassi, de 26 anos, afirmou que era pequeno quando Senna morreu, mas que lembra exatamente o dia de sua morte. Ele contou que tinha um avião controlado por rádio, "algo que o Ayrton adorava também", e que estava brincando quando o pai ligou.

"Eu voltei para casa e então vi tudo e vi as implicações que aquele dia teve no Brasil. Foi uma imagem muito, muito forte e eu nunca vou esquecer... isso me mostrou o quanto o automobilismo é importante para o povo brasileiro. Com certeza isso me motivou a correr de kart", afirmou Di Grassi, piloto da Virgin.

Rubens Barrichello e Felipe Massa disseram que ainda não viram o filme, mas destacaram a importância do ídolo em suas carreiras. Senna é o último brasileiro campeão da F1, em 1991, e ainda é muito lembrado pela torcida.

"Ele era um grande piloto de corrida, mas o que ele era capaz de fazer nos treinos classificatórios eu nunca vou esquecer. Ele foi um piloto espetacular, lembro de várias corridas dele", disse o piloto da Ferrari.

Barrichello, que correu ao lado de Senna na F1, afirmou que o tricampeão o ajudou muito no início de sua carreira na categoria, que já dura 18 anos, e por isso quer fazer o mesmo com os mais jovens.

"Lucas e Bruno sabem que se precisarem se alguma coisa, podem contar comigo, assim como Felipe. Nós (brasileiros) nos vemos muito mais do que outros (da mesma nacionalidade), somos bons amigos", disse Barrichello.