7 de Novembro de 2010 / às 13:13 / 7 anos atrás

Button sofre tentativa de assalto; PM descarta esquema especial

<p>O atual campe&atilde;o de F&oacute;rmula 1 Jenson Button escapou ileso de uma tentativa de assalto armado enquanto deixava o circuito de Interlagos, em S&atilde;o Paulo, no s&aacute;bado, de acordo com ele e sua equipe McLaren.Bruno Domingos</p>

Por Alan Baldwin e Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - O atual campeão de Fórmula 1 Jenson Button escapou ileso de uma tentativa de assalto armado enquanto deixava o circuito de Interlagos, em São Paulo, no sábado, de acordo com ele e sua equipe McLaren.

O britânico, que ganhou o seu título no Brasil um ano atrás, estava deixando o circuito do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1 quando um grupo de homens armados se aproximou de seu carro.

"Estávamos voltando do circuito numa região de favela e andando lentamente por causa do movimento da rua," disse Button ao jornal Mail no domingo.

"Eu vi um homem com uma arma e disse: aquilo não é uma arma? e quando eu disse isso o motorista arrancou...Foi quando eu vi seis homens, todos com armas," acrescentou ele.

Em nota, a McLaren disse que Button escapou do incidente com a ajuda do motorista, um policial treinado com técnicas de evasão.

A Polícia Militar de São Paulo informou que não foi procurada pelo piloto e que a segurança não será reforçada na região do autódromo de Interlagos por causa do incidente.

Segundo o porta-voz da PM responsável pela operação da F1, capitão Emerson Maffera, o que foi apurado extra-oficialmente é que o motorista de Button percebeu a possível aproximação de um suspeito e fez uma manobra mais brusca.

Ele disse que o piloto da McLaren não será escoltado pela PM para a corrida deste domingo porque não foi solicitado.

"Não tem esquema especial. A cidade já tem um esquema forte por causa da corrida, com 3.000 policiais. Até agora não foi registrado nenhum incidente maior, somente alguns furtos esporádicos," afirmou o capitão Maffera à Reuters.

ARMAS E CASSETETE

O pai de Button, John, seu agente Richard Goddard e o fisioterapista Mike Collier também estavam no carro.

Goddard disse à Reuters que eles deixaram o circuito por volta das 19h (horário de Brasília) e estavam parados em uma fila de carros quando viram um grupo de homens saindo de um prédio.

"Eu observei que um dos homens tinha o que parecia ser um grande cassetete e aí alguém gritou 'um deles tem uma arma,'" afirmou o empresário de Button.

"O rapaz tirou a arma e um outro mostrou uma maior ainda e eles vinham em direção ao carro. Dissemos ao motorista vá, vá, vá."

Goddard disse ainda que eles bateram em vários carros enquanto forçavam a saída para fora do tráfego.

"Felizmente, a Merc (Mercedes) foi muito forte e tínhamos um motorista policial. Se não fosse isso poderia ser uma situação potencialmente perigosa," acrescentou.

"Eu não sei o que teria acontecido se não tivéssemos arrancado com o carro," afirmou.

Esse não é o primeiro incidente que acontece no GP Brasil. Há quatro anos, integrantes da equipe Toyota também sofreram uma tentativa de assalto em São Paulo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below