November 7, 2010 / 1:58 PM / 7 years ago

Engenheiros da Sauber são assaltados em São Paulo

4 Min, DE LEITURA

Por Alan Baldwin

SÃO PAULO (Reuters) - Três engenheiros da Sauber foram assaltados sob mira de armas pouco depois que o atual campeão de Fórmula 1, Jenson Button, escapara ileso de um ataque similar depois dos treinos para o GP do Brasil, informou a escuderia neste domingo.

"Eles deixaram o circuito, três engenheiros juntos em uma van, por volta das oito horas da noite, no sábado", disse o porta-voz da equipe.

"Tiveram de parar no sinal vermelho e, então, de repente, cinco pessoas rodearam o carro, um tinha uma metralhadora, eles abriram a porta, pegaram duas mochilas e desapareceram. Ninguém saiu ferido."

Button, da McLaren, foi vítima de uma tentativa de roubo uma hora antes, mas seu motorista policial conseguiu abrir caminho pelo trânsito para escapar quando um homem armado foi visto se aproximando.

Button disse aos repórteres em sua chegada ao circuito que estava bem, mas perturbado com o incidente.

"Você escuta sobre isso acontecendo ao longo dos anos, mas até que aconteça com você não se sabe como é", disse ele. "Esta é uma situação bem assustadora, porque no início você não acredita que esteja realmente acontecendo."

"Isso é uma coisa terrível de acontecer."

"Sinto-me bem agora. Há muita atenção porque foi a primeira vez que aconteceu com um piloto, mas espero que isso mostre o perigo que existe e que todos tomem mais cuidado", declarou Button.

"Pelo o que eu ouvi, a maioria dos pilotos tiveram escolta policial até o circuito hoje, assim como um carro blindado e um policial como motorista."

Metralhadora

Button, que tem apenas chances matemáticas de conquistar o título tendo pela frente a penúltima prova da temporada, disse que sua Mercedes blindada - com vidros escuros - havia parado no semáforo fora do circuito.

Sentando no banco do passageiro, ele percebeu um grupo de homens observando de forma suspeita da entrada de um dos edifícios que escondem a favela que existe ali atrás.

"Richard (Goddard, seu empresário) notou que um deles segurava um bastão e eu percebi que outro estava brincando com algo em sua calça e era uma arma", afirmou Button.

"Logo que eu disse isso, o motorista olhou e eles viram que ele estava olhando e começaram a correr em direção do carro. Então, aceleramos o carro, não parecia que havia espaço suficiente, mas conseguimos passar entre uns seis carros e forçamos a passagem entre cada veículo e conseguimos escapar."

"Olhando para trás havia dois homens com revólveres e um tinha uma metralhadora", contou o motorista.

Membros das equipes estão sempre no alvo de tentativas de ataques armados ao deixar o circuito depois de incidentes anteriores terem ocorrido em São Paulo, uma cidade grande com um dos maiores índices criminais na América do Sul.

Pequenos roubos também são um problema, com histórias de malas e carteiras roubadas nos arredores do paddock. Dois fotógrafos também deram por falta de lentes caras que sumiram de sua sala no circuito.

"Estamos tomando algumas precauções na chegada e saída do circuito, não deixamos as credenciais à mostra e não vestimos camisas da equipe", disse o porta-voz da Toro Rosso quando perguntado sobre quais medidas estavam tomando.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below