Bruno Senna comemora estreia no Brasil; Di Grassi lamenta

domingo, 7 de novembro de 2010 17:59 BRST
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO, 7 de novembro (Reuters) - Novatos na Fórmula 1, os brasileiros Bruno Senna e Lucas di Grassi deixaram o primeiro Grande Prêmio Brasil de suas carreiras com sentimentos opostos.

Enquanto Senna, piloto da Hispania Racing, comemorava o 21o lugar, o representante da Virgin reclamava de um problema mecânico que o tirou da disputa em Interlagos.

"A estratégia foi boa e eu não cometi erros. No final eu estava com 100 por cento de energia para atacar o Timo (Glock, da Virgin), e infelizmente faltou pneu", disse Bruno Senna após a corrida deste domingo.

"Para um piloto, mesmo estando atrás, é satisfatório ter uma corrida onde você está disputando com outros carros e isso traz um grande prazer", completou o brasileiro.

Senna reafirmou que negocia com algumas equipes para permanecer na F1 em 2011 e disse que a temporada de estreia na categoria foi positiva, apesar dos maus resultados de sua equipe novata - a melhor colocação dele foi o 14o na Coreia do Sul, prova anterior à do Brasil.

"Este ano na Fórmula 1 me preparou muito para o futuro", afirmou o sobrinho do tricampeão Ayrton Senna, acrescentando que ainda não pensou no que vai fazer se tiver que deixar a F1.

Após também ter uma temporada de estreia difícil na categoria, Di Grassi disse que estava "frustrado" com o problema na suspensão traseira de seu carro. Ele chegou a abandonar a prova em Interlagos, mas depois voltou à pista, sem conseguir terminar a corrida entre os classificados.

"Os mecânicos falaram para eu parar, mas eu fiz questão de voltar para o carro e terminar a corrida, e mesmo assim arriscar. Isso mostra que a gente está aqui para lutar, para fazer o possível para evoluir e num futuro ter um melhor carro e aí sim brigar por pontos, pódios e vitórias", disse ele.

Di Grassi acrescentou que "nunca vai esquecer" seu primeiro fim de semana no GP Brasil e que a tendência é que ele permaneça na equipe Virgin na próxima temporada.

"A chance é muito grande de eu ficar na Virgin. Não tem nada acertado, mas o caminho é esse", declarou ele à Reuters.

 
<p>Pilotos Lucas di Grassi (esq.) da Virgin, Rubens Barrichello da Williams, Felipe Massa do Ferrari e Bruno Senna da HRT durante coletiva de imprensa em S&atilde;o Paulo. Enquanto Senna comemorava o 21o lugar, di Grassi reclamava de um problema mec&acirc;nico que o tirou da disputa em Interlagos. 04/11/2010 REUTERS/Bruno Domingos</p>