Soderling vence Monfils e conquista o Masters de Paris

domingo, 14 de novembro de 2010 15:05 BRST
 

PARIS (Reuters) - Robin Soderling sinalizou suas intenções para as finais da ATP com uma vitória por 6-1 e 7-6 na final de simples sobre o favorito local Gael Monfils em Paris no domingo.

Soderling, quarto cabeça-de-chave e duas vezes vice-campeão do Aberto da França, foi simplesmente muito bom para Monfils e arrancou uma incontestável vitória ganhando por 7-1 o tiebreak do segundo set.

Sua combinação de força bruta e ritmo provou ser boa demais para o francês segurar, que sofreu sua segunda derrota consecutiva numa final em Bercy.

Apoiado por uma multidão de 14.500 espectadores, Monfils em nenhum momento pareceu sentir a força que o ajudou a derrubar o 16 vezes campeão de Grand Slams Roger Federer no sábado.

Soderling não demonstrou fraqueza durante os 77 minutos que durou o encontro na quadra de piso rápido onde consquistou seu sexto título em torneios da ATP.

Monfils concedeu uma quebra handed Soderling no quarto game, ao falhar em um voleio rotineiro e o sueco manteve o serviço no game seguinte para abrir uma vantagem de 4-1.

Ele manteve a pressão sobre Monfils e quebrou novamente o serviço do francês com uma soberba bola cruzada antes de vencer o primeiro set com um forehand após 26 minutos.

Soderling, cuja carreira deu um grande salto quando ele chegou à final do Aberto da França no ano passado, não encarou um break point sequer, numa disputa de um lado só.

Monfils, no entanto, resistiu bem no segundo set enquanto o percentual de aproveitamento do primeiro saque de Soderling caiu, mas o sueco aos poucos retomou as ações no tiebreak para fechar a partida em uma subida à rede, caindo de costas para comemorar.

Ele agora segue para Londres, onde serão disputadas as finais da ATP a partir de 21 de novembro, na O2 Arena.

(Editado por Pritha Sarkar)

 
<p>Robin Soderling, da Su&eacute;cia, exibe o trof&eacute;u do Masters de Paris ap&oacute;s derrotar o franc&ecirc;s Gael Monfils na final do torneio, 14 de novembro de 2010. REUTERS/Benoit Tessier</p>