14 de Novembro de 2010 / às 18:12 / 7 anos atrás

Vettel, um campeão com pressa

Por Alan Baldwin

ABU DHABI (Reuters) - Desde o primeiro momento em que chegou à Formula Um como um adolescente de cabelos encaracolados, o novo campeão mundial Sebastian Vettel era um jovem apressado.

O piloto de 23 anos da Red Bull, que se tornou o mais jovem campeão mundial com a vitória no Grande Prêmio de Abu Dhabi, bateu recordes desde o primeiro dia.

Poucos segundos após sua estreia no treino da sexta-feira no Grande Prêmio da Turquia, ele foi multado por excesso de velocidade na reta dos boxes.

O mais jovem piloto a participar de uma sessão treinos logo se tornou o mais jovem a marcar um ponto, o mais jovem a alcançar uma pole position e o mais jovem a conquistar uma vitória.

Nascido no mesmo ano em que a Red Bull vendeu sua primeira lata de bebida energética, o ás das corridas com aparência de colegial sorridente sempre pareceu uma jogada de marketing concebida pelos novos campeões de construtores da Formula Um.

Irreverente, com uma propensão ao humor britânico e aos Beatles, nunca houve nenhuma dúvida de que Vettel é o garoto de olhos azuis de propriedade da austríaca Red Bull.

PRÊMIO MAIOR

Vettel, o segundo alemão a conquistar o título mundial da F1 depois de Michael Schumacher, deixou o melhor para o final, para o momento em que verdadeiramente importava.

Nesta temporada, ele conquistou 10 pole positions e venceu cinco corridas e ainda era o único dos quatro candidatos ao título que não havia liderado o campeonato antes do domingo, quando ele conquistou a vitória em Abu Dhabi pelo segundo ano consecutivo.

Ao tomar o maior dos prêmios, ele desfez os sonhos de seu companheiro de equipe Mark Webber.

Os dois pilotos da Red Bull passaram a temporada se desentendendo e colidiram embaraçosamente na Turquia em maio.

Apelidado de 'Baby Schumi', alcunha detestada e rejeitada pela mídia alemã desde sua ascensão precoce nas categorias inferiores do esporte, Vettel está longe do estereótipo alemão.

Ávido fã de comédias televisivas britânicas, desde Monty Python a Little Britain, o filho de carpinteiro da cidade de Heppenheim disfarça sua enorme seriedade com um espírito brincalhão.

Ele deu a todos os seus carros nomes femininos, e nesta temporada prosseguiu de 'Luscious Liz' a 'Randy Mandy' após 'Julie' e 'Kate'.

No ano passado em Abu Dhabi, após vencer a última corrida da temporada, ele brincou com o campeão mundial Jenson Button perguntando sobre seus planos de casamento, a despeito de repetidas negativas.

Substituindo David Coulthard na Red Bull em 2009 após conseguir sua primeira vitória com a "equipe co-irmã" Toro Rosso, ele foi perguntado sobre quantas entrevistas o escocês teria dado durante sua carreira de 15 anos na Formula Um.

"Meu palpite é de provavelmente três vezes a quantidade de mulheres que ele teve, o que dá algo em torno de 30.000," ele arriscou maliciosamente.

Os heróis de infância de Vettel, disse ele ao site oficial formula1.com no início deste ano, sempre foram os três "Michaels" - Michael Schumacher, Michael Jordan e Michael Jackson.

"Eu queria ser Michael Jackson quando era jovem," acrescentou o piloto. "Foi doloroso perceber que eu não tinha a voz."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below