Bielsa agradece apoio da torcida chilena em jogo de despedida

quinta-feira, 18 de novembro de 2010 11:49 BRST
 

SANTIAGO (Reuters) - O técnico argentino Marcelo Biela agradeceu as demonstrações de gratidão dos torcedores chilenos durante o amistoso em que o Chile venceu o Uruguai por 2 x 0, na quarta-feira, no último jogo do técnico à frente da equipe.

O Chile venceu o Uruguai com gols do atacante Alexis Sánchez e do meio-campista Arturo Vidal, aos 38 minutos do primeiro tempo e aos 30 do segundo tempo, em um jogo marcado de simbolismo pelas constantes demonstrações de afeto dos torcedores com o técnico antes de sua despedida.

Bielsa já tinha anunciado que deixaria o cargo caso o dirigente Harold Mayne-Nicholls fosse derrotado em sua tentativa de reeleger-se presidente da federação chilena, o que acabou acontecendo no início do mês. O espanhol Jorge Segovia será o novo chefe da entidade.

"Quero retribuir de forma acentuada o que sinto pelas mostras de carinho que recebi no dia de hoje. Muito, muito obrigado, de verdade. Há certas coisas que não se pode expressar, como neste caso", disse o técnico a jornalistas após a partida.

"Também estou muito contente pela atuação da equipe, acho que foi uma exibição cheia de autoridade. Não acho que seja exagero, mas acredito que cada jogador encontrou uma estabilidade, um crescimento, um amadurecimento na partida de hoje", acrescentou.

Na partida, disputada diante de 45 mil torcedores em Santiago, o Uruguai terminou com 10 homens, após a expulsão de Walter Gargano aos 41 minutos. Essa foi a primeira derrota dos uruguaios desde o 4o lugar obtido na Copa do Mundo da África do Sul.

Sob comando de Bielsa, que assumiu a seleção chilena em 2007, a equipe classificou-se para o Mundial deste ano após 12 anos sem jogar uma Copa. Foram 50 jogos com o treinador, com 28 vitórias, 7 empates e 15 derrotas -- incluindo para o Brasil nas oitavas de final da Copa da África.

(Reportagem de Claudio Cerda)

 
<p>T&eacute;cnico argentino Marcelo Biela agradeceu as demonstra&ccedil;&otilde;es de gratid&atilde;o dos torcedores chilenos durante o seu &uacute;ltimo jogo &agrave; frente da equipe. REUTERS/Ivan Alvarado</p>