ENTREVISTA-Rali Dacar pode incluir Brasil no percurso em 2012

sexta-feira, 19 de novembro de 2010 17:33 BRST
 

Por Claudio Cerda

SANTIAGO (Reuters) - A mudança do Rali Dacar para a América do Sul devolveu à prova o brilho que tinha na década de 1980, e o percurso pode passar a incluir o Brasil no futuro, disse o diretor da prova, Etienne Lavigne.

O crescente interesse de pilotos latino-americanos em participar da prova e a atenção que a caravana de veículos desperta no público da região devolveu à prova a mesma popularidade de quando a largada acontecia em Paris, de acordo com Lavigne.

"Aqui temos terrenos espetaculares e paisagens novas com um nível de dificuldade muito alto, e além disso há um entusiasmo incrível, absolutamente fenomenal. É um prazer organizar a prova com os governos da Argentina e Chile, ainda mais com toda empolgação do povo", disse Lavigne em entrevista à Reuters.

"O Dacar na América Latina tem agora o mesmo nível de notoriedade e de interesse que o Dacar tinha nos anos 1980 na França. Isso quer dizer que todos os pilotos do continente querem competir, porque não é apenas mais uma corrida, é a competição mais difícil do mundo", acrescentou.

Desde seu início e até 1994, a prova aconteceu sem alterações desde Paris até Dacar, capital do Senegal. Depois a corrida aconteceu em outros países africanos, antes de ser transferida para a América do Sul em 2009 por falta de segurança em território africano.

A próxima edição será realizada em oito etapas na Argentina -- incluindo a largada e a chegada -- e cinco no Chile. Duas etapas serão divididas entre os dois países.

Lavigne afirmou que a partir de 2012 novos países, como o Brasil, podem ser incluídos no percurso, mantendo as duas semanas de duração da prova.

"Fizemos contatos no Brasil, Peru e Paraguai, e é verdade que gostaríamos muito de ampliar a corrida para outros países, porque esse é o espírito do Dacar, descobrir novos cenários."