Rússia e Catar levam a Copa do Mundo para novas terras

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 16:55 BRST
 

Por Paul Radford

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa deu seu reconhecimento máximo aos mercados emergentes nesta quinta-feira, ao conceder as edições de 2018 e de 2022 da Copa do Mundo à Rússia e ao Catar.

A Rússia ganhou o direito de sediar a Copa do Mundo de 2018. Será a primeira vez que o evento acontecerá no Leste Europeu, depois de 10 edições na porção ocidental do continente.

O Catar sediará o torneio em 2022, um feito inédito tanto para o Oriente Médio como para um país árabe. O país também será o menor da história a sediar uma Copa do Mundo, com uma população de 1,7 milhão de habitantes.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que anunciou os vencedores após a votação do comitê executivo da entidade na capital financeira da Suíça, exaltou o avanço da Copa do Mundo para novas regiões.

"Vamos para novos territórios. A Copa do Mundo nunca foi na Rússia e no Leste Europeu, e o Oriente Médio e o mundo árabe esperaram por muito tempo, então sou um presidente feliz quando falamos de desenvolvimento no futebol", disse Blatter após o anúncio.

A Copa do Mundo deste ano ocorreu na África do Sul, pela primeira vez no continente africano. O Mundial de 2014 será no Brasil, voltando ao país pela primeira vez após a distante Copa de 1950.

O comitê executivo do órgão que rege o futebol mundial votou pelas candidaturas vencedoras após uma campanha acirrada, com líderes políticos e personalidades do esporte marcando presença em Zurique a fim de pressionar para receber um dos prêmios mais lucrativos e de maior prestígio do mundo no esporte.

FAVORITOS DE LONGA DATA   Continuação...

 
<p>Torcedores e jornalistas do Catar comemoram a escolha do pa&iacute;s como sede da Copa do Mundo de 2022. REUTERS/Khaled Abdullah</p>