Blatter nega corrupção na Fifa;chama ingleses de maus perdedores

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010 15:23 BRST
 

ZURIQUE (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, rejeitou acusações de corrupção na Fifa após as escolhas de Rússia e Catar para sediar as Copas do Mundo de 2018 e 2022, e disse que a Inglaterra teve uma reação de quem não sabe perder.

"Para ser honesto, fiquei surpreso com toda reclamação inglesa após a derrota. A Inglaterra, de todas as pessoas, a mãe dos ideais do jogo limpo", disse Blatter à revista suíça Weltwoche em entrevista divulgada antes da publicação do semanário, na quinta-feira.

"Alguns deles estão se mostrando maus perdedores", disse. "Você não pode vir e dizer depois que pessoas prometeram votar na Inglaterra. Os resultados estão aí. Eles foram divulgados claramente", acrescentou.

Roger Burden, presidente em exercício da federação inglesa de futebol, retirou sua candidatura para assumir o cargo de forma integral na semana passada, alegando que não conseguia mais confiar nos membros da Fifa após a derrota inglesa na eleição para sediar a Copa do Mundo de 2018.

Ele acrescentou que a delegação inglesa em Zurique, que incluiu o premiê David Cameron e o príncipe William, recebeu promessas de votos que não foram concretizadas na votação dos membros do comitê executivo da Fifa.

Blatter disse que a reação de alguns países derrotados demonstrou uma falta de entendimento a respeito da intenção da Fifa de expandir o futebol para outras regiões.

"Eu realmente sinto em algumas reações um pouco de arrogância do mundo ocidental cristão", disse.

O chefe da candidatura inglesa, Andy Anson, sugeriu após a derrota de seu país que Blatter tinha influenciado os membros do comitê executivo ao lembrá-los pouco antes da votação de reportagens publicadas na mídia britânica denunciando casos de corrupção da Fifa.

Blatter rejeitou as acusações de corrupção e disse que está sendo alvo de jornalistas anti-Fifa. "Não há corrupção sistemática na Fifa. Isso não tem sentido. Somos financeiramente limpos e claros."

Perguntado se ainda será o presidente da Fifa na Copa do Mundo de 2022 no Catar, Blatter respondeu: "Com certeza não. Se Deus quiser, serei convidado para a cerimônia de abertura, de bengala ou numa cadeira de rodas."

(Reportagem de Emma Thomasson)

 
<p>Presidente da Fifa, Joseph Blatter, rejeitou acusa&ccedil;&otilde;es de corrup&ccedil;&atilde;o na Fifa ap&oacute;s as escolhas de R&uacute;ssia e Catar para sediar as Copas do Mundo de 2018 e 2022. REUTERS/Arnd Wiegmann</p>