FIA libera ordens de equipe na Fórmula 1

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 14:54 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Fórmula 1 retirou a proibição das chamadas "ordens de equipe", que causaram uma grande polêmica no Grande Prêmio da Alemanha deste ano, quando a Ferrari determinou a Felipe Massa que deixasse seu companheiro Fernando Alonso ultrapassá-lo.

A decisão, anunciada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), vai desagradar alguns torcedores, enquanto outros acreditam que tais táticas sempre fizeram parte do esporte e deveriam ser reconhecidas.

A FIA advertiu, porém, que uma ação ostensiva no começo da temporada ainda será passível de punição.

"As equipes serão lembradas que quaisquer ações sujeitas a levar o esporte ao descrédito serão tratadas de acordo com o artigo 151 do Código de Conduta Internacional e outras cláusulas relevantes", disse a entidade em comunicado.

Outro exemplo simbólico das "ordens de equipe" aconteceu no GP da Áustria de 2002, em que o brasileiro Rubens Barrichello, que havia dominado todo o fim de semana e estava prestes a vencer aquela corrida, foi orientado a deixar passar o então companheiro de Ferrari Michael Schumacher, num gesto que ficou marcado na F1.

A FIA também anunciou que a Fórmula 1 vai mudar para motores equipados com turbo 1,6 litro a partir de 2013, e que os pilotos serão permitidos a usar uma asa traseira removível na próxima temporada, uma renovação importante nas regras técnicas da categoria.

Os carros atuais utilizam motores V8 de 2,4 litros, que gastam menos combustível do que os V10 e V12 de 3,0 litros das antigas gerações.

A nova regra de motores está em linha com a determinação da FIA de tornar o esporte mais responsável em relação ao meio ambiente.

A FIA, cujo conselho esportivo de automobilismo reuniu-se em Mônaco, disse que a nova especificação de motor salienta um "comprometimento para melhorar a sustentabilidade e indica as necessidades da indústria automotiva".