Para Platini, escolha de sedes da Copa foi "algo lindo"

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 16:36 BRST
 

Por Brian Homewood

PRAGA (Reuters) - O francês Michel Platini, presidente da Uefa e membro do comitê executivo da Fifa, disse nesta sexta-feira que houve "algo lindo" na filosofia por trás das escolhas da Rússia e do Catar como sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022.

Ele acrescentou que a decisão de levar o Mundial ao Catar não teve nada de "ilógico", argumentando que o Oriente Médio já foi rejeitado várias vezes em outras tentativas de organizar a competição.

Platini, no entanto, ponderou alternativas para o atual sistema de votação de escolha de sedes para os Mundiais, em que apenas os membros do comitê executivo -- atualmente 22 -- participam da escolha.

O ex-jogador da França disse acreditar que a Fifa tenha se sensibilizado com a possibilidade de levar a Copa do Mundo para novas regiões, ao comentar a votação realizada na semana passada em Zurique.

"A Rússia perguntou por que eles não tinham o direito de organizar uma Copa do Mundo e lembrou que 10 vezes já tinha acontecido na Europa Ocidental", disse Platini a repórteres. "Acho que talvez o comitê executivo tenha se sensibilizado com isso."

"A mesma coisa se aplica ao Catar e ao mundo árabe. O Marrocos tentou quatro vezes fazer uma Copa do Mundo e perdeu, o Egito também perdeu, e o Catar perguntou quando o Oriente Médio terá uma oportunidade", acrescentou.

Platini também ponderou sobre as sugestões de que o Congresso da Fifa -- em que representantes dos 208 países membros da entidade têm direito a voto -- deveria escolher as sedes, em vez do comitê executivo.

"A diferença é que a América do Sul tem apenas 10 votos, então talvez eles nunca façam uma Copa do Mundo", disse. "Acho que podemos pensar na questão, talvez possamos elaborar um sistema diferente. A próxima vez que vamos escolher uma sede será daqui a 10 anos."

 
<p>Presidente da Uefa, Michel Platini, concede entrevista coletiva em Praga. REUTERS/David W Cerny</p>