Copa do Mundo é mais que apenas chutar uma bola, diz Blatter

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 11:36 BRST
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, defendeu a decisão da entidade de realizar a Copa do Mundo na Rússia e no Catar, afirmando que era "natural" levar a competição para outras partes do mundo.

Ao final de um ano bastante movimentado para a Fifa, em que o Mundial foi realizado pela primeira vez na África e que marcou a escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022, Blatter disse ao site da Fifa (www.fifa.com) que as críticas feitas à federação são injustas.

"A mídia esportiva não sempre aprecia a importância social e cultural de se levar a Copa do Mundo para um país", disse. "Eles pensam apenas em pênaltis, escanteios, arbitragem e dinheiro. Mas, como eu já disse, essa decisão (de fazer a Copa na Rússia e no Catar) não foi para ganhar dinheiro."

Blatter acrescentou que, após fazer Mundiais anteriores na Ásia e na África, era "natural" que a Fifa levasse a competição para outras regiões do globo.

"Fizemos decisões históricas em termos esportivos e geopolíticos. Levamos a Copa do Mundo a novos territórios", disse.

"A Copa do Mundo de 2018 vai para o Leste Europeu, em um país enorme como a Rússia, e a de 2022 vai para o Catar, no mundo árabe. A Copa do Mundo vai descobrir novas culturas em novas regiões, e isso é algo extraordinário."

Blatter citou o brasileiro João Havelange, ex-presidente da Fifa, como o responsável pelo início do processo de expansão do futebol para novas partes do mundo.

"Quando eu entrei nesse projeto em novembro de 1974... pude ver na minha frente que há muito mais no futebol do que apenas chutar a bola", disse. "Quando me tornei presidente da Fifa, a decisão foi ir para a Ásia. E então eu disse que deveríamos ir para a África, que foi o que fizemos. É natural, então, que fossemos para novas regiões."

O suíço disse que compreende a frustração dos candidatos derrotados, "mas talvez algumas pessoas tenham se esquecido que no futebol você tem que aprender a perder e a ganhar."

 
<p>Copa do Mundo &eacute; mais que apenas chutar uma bola, disse o presidente Joseph Blatter. REUTERS/Arnd Wiegmann</p>