Presidente da federação asiática defende mudanças na Fifa

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011 16:59 BRST
 

DOHA (Reuters) - O presidente da Confederação Asiática de Futebol, Mohamed Bin Hammam, defendeu nesta quarta-feira em entrevista à Reuters que sejam realizadas mudanças na Fifa e não descartou concorrer ele próprio à presidência da principal entidade do futebol mundial.

Perguntado se poderia concorrer com o atual presidente Joseph Blatter, Bin Hammam abriu um largo sorriso e balançou os ombros. Essa foi a primeira vez que o catariano de 61 anos, vestido impecavelmente de branco, não descartou verbalmente a questão.

O dirigente, que está no comitê executivo da Fifa desde 1996, fez críticas a Blatter. Ainda animado pela vitória do Catar na eleição para sediar a Copa do Mundo de 2002, ele disse que ficou descontente com a forma como Blatter anunciou que desejava criar um comitê anticorrupção na Fifa.

"Alguns atos da Fifa eu não aprovo e não concordo. Sou membro do comitê executivo da Fifa e nós nunca discutimos essa ideia (do comitê anticorrupção) dentro do comitê executivo -- eu li sobre isso na mídia", disse Bin Hammam.

"Se estivermos falando sério sobre isso, como uma visão ou um ponto de vista, isso tem que ser levado ao executivo para discutirmos e debatermos, até chegarmos a uma conclusão", acrescentou.

"Não concordo que amanhã a gente chegue a uma reunião da Fifa e descubra que já existe um comitê formado, que os membros foram escolhidos e o código decidido."

Questionado se achava que estava na hora de se fazer mudanças no primeiro escalão da Fifa, ele respondeu: "Mudanças são obrigatórias para uma verdadeira melhora".

(Por Mike Collett)