Roma abandona planos para sediar GP da F1 e mira Olimpíada

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011 14:28 BRST
 

ROMA (Reuters) - A Roma abandonou "definitivamente" os planos para realizar uma corrida da Fórmula 1 depois de ampla oposição, e concentrará seus esforços na candidatura às Olimpíadas de 2020, disse o prefeito Giani Alemanno nesta sexta-feira.

A cidade queria sediar o Grande Prêmio anual nas ruas do distrito de EUR a partir de 2013, mas na semana passada o chefe comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, escreveu ao prefeito dizendo que a Itália, que já tem uma corrida em Monza, não poderia realizar dois eventos por ano.

"Hoje abandonamos definitivamente e oficialmente o projeto da Fórmula 1 para Roma", disse Alemanno em coletiva de imprensa.

O plano, que também não foi bem-recebido por moradores locais, não conseguiu o apoio das equipes, e até a italiana Ferrari disse que o país só poderia sediar apenas uma corrida por ano, dada a expansão do calendário mundial para 20 corridas ao ano.

O organizador do projeto Maurizio Flammini, que sonhou com a ideia de um GP em Roma, disse na semana passada que gostaria que a cidade fizesse um rodízio com Monza, mas autoridades da pista do norte da Itália, amada por equipes e torcedores, disseram que isso seria impossível.

Roberto Formigoni, presidente da região de Lombardy, onde a Monza está localizada, disse que agora apoiaria completamente a candidatura de Roma às Olimpíadas de 2020, apesar da forte rivalidade entre o norte e o sul da Itália.

"Estamos e estaremos lado a lado com Roma porque a candidatura às Olimpíadas poderá ser bem-sucedida e uma vitória para Roma pode ser uma vitória para toda a Itália", disse.

A Espanha realiza o GP da Espanha em Barcelona e o GP da Europa em Valência, mas esse último deve se tornar rotativo com outros países no futuro, à medida que a Fórmula 1 se expande para novos mercados, como a Índia neste ano.