Vitória de Schiavone sobre Kuznetsova bate recorde de duração

domingo, 23 de janeiro de 2011 14:02 BRST
 

Por Ian Ransom

MELBOURNE (Reuters) - Francesca Schiavone conseguiu sobreviver à partida mais longa do tênis feminino em Grand Slam na era profissional do esporte ao vencer Svetlana Kuznetsova após quatro horas e 44 minutos para chegar até as quartas de final do Aberto da Austrália.

A italiana de 30 anos, que venceu no ano passado o Aberto da França perante o seu fã-clube que usava camisetas com os dizeres "Schiavo Nada é Impossível", esteve bem perto da derrota, mas superou seis match points antes de vencer em 4-6 6-1 16-14 na arena Hisense.

Uma partida empolgante começou sob um sol brilhante e terminou no entardecer com as duas jogadoras exaustas e precisando de ajuda dos treinadores. Foi Schiavone, contudo, que encontrou forças para vencer a partida e quebrar o serviço da adversária em 14-14. Ela garantiu a vitória com uma direita no final do set decisivo que durou três horas - algo muito menor do que a monstruosa partida de oito horas entre John Isner e Nicolas Mahut em Wimbledon no ano passado, mas ainda assim impressionante.

"Espero poder mostrar um DVD disso para o meu filho", disse Schiavone, que se tornou a segunda jogadora mais velha a vencer um Grand Slam feminino quando passou pela australiana Samantha Stosur em Roland Garros no ano passado.

"É como se cada ponto fosse o ponto do jogo e você precisa continuar. Você está cansada fisicamente, mas a outra também está. E mentalmente é a mesma coisa...," disse. Ela acrescentou: "Nós treinamos todos os dias para fazer isso, para dar o melhor quando se pensa 'não, eu não consigo'. Mas, no fim, você sempre tem alguma coisa a mais para dar, sempre."

Kuznetsova conseguiu também salvar dois match points, mas não conseguiu evitar que a italiana vencesse.

"Eu me sinto muito vazia, não sei o que dizer. Nós duas lutamos tanto durante a partida e, em momentos decisivos ela foi melhor", disse. "Mas, olhando as estatísticas, acho que fui a melhor jogadora na quadra. É muito decepcionante", acrescentou.

A partida superou o antigo recorde de quatro horas e 19 minutos entre a tcheca Barbora Zahlavova-Strycova e a russa Regina Kulikova no Aberto da Austrália no ano passado, mas não conseguiu superar o recorde de 48 games estabelecido na partida entre Chanda Rubin, dos EUA, e a espanhola Arantxa Sanchex-Vicario, também no Melbourne Park.

 
<p>Francesca Schiavone, da It&aacute;lia, joga contra Svetlana Kuznetsova, da R&uacute;ssia, no Aberto da Austr&aacute;lia, em Melbourne, 23 de janeiro de 2011. REUTERS/Yuriko Nakao</p>