Seleção francesa não deveria chamar Evra, diz ministro

sábado, 29 de janeiro de 2011 15:44 BRST
 

PARIS (Reuters) - O capitão da França na Copa do Mundo 2010, Patrice Evra, não deveria ser convocado para a equipe nacional depois de cumprir suspensão por seu papel na revolta da equipe na África do Sul contra o comando técnico, disse o ministro francês dos esportes Chantal Jouanno, neste sábado.

O jogador está disponível para a seleção da França no amistoso contra o Brasil em 9 de fevereiro no Stade de France.

"Eu não consigo entender a sugestão de que os líderes da revolta na África do Sul pudessem ser reintegrados. Independentemente das suas qualidades, trazê-los de volta seria inaceitável," disse Jouanno ao jornal francês L'Equipe.

Evra foi um dos quatro jogadores punidos após boicotarem uma sessão de treinos da seleção da França na Copa do Mundo do ano passado em apoio do atacante Nicolas Anelka, que havia sido mandado para casa por insultar o treinador, Raymond Domenech.

Anelka foi suspenso por 18 partidas, Evra por cinco, Franck Ribery por três e Jeremy Toulalan por um. Evra foi o único que recorreu.

"Não se pode envergonhar a França e jogar pela França de novo... Há valores," disse Jouanno.

"Não tenho nada contra o Evra, mas como jogador da seleção francesa, e sobretudo como capitão, ele não defendeu os valores do esporte. Seria um grande erro esquecer o que aconteceu."

"Tenho certeza de que há outros jogadores talentosos que não mancharam a imagem da França e estão à espera de uma oportunidade."

Em 3 de fevereiro, o técnico Laurent Blanc convocará a equipe para o jogo com o Brasil.