COI defende que parte da renda de apostas vá para federações

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011 12:01 BRT
 

Por Karolos Grohmann

BERLIM (Reuters) - Organizadores e federações de esportes deveriam receber uma parte da renda obtida em apostas e os governos devem impor controles mais rígidos sobre as apostas nos esportes, afirmou nesta segunda-feira o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge.

Em teleconferência com jornalistas, na véspera de uma reunião com ministros de vários governos, a Interpol e entidades europeias que controlam práticas ilegais e irregulares de apostas, Rogge disse que o COI é a favor de um envolvimento maior dos governos nas práticas de apostas.

"Especificamente, somos a favor de um sistema no qual operadores precisem ser licenciados pelo governo", disse Rogge na teleconferência, acrescentando que isso ajudaria a monitorar padrões irregulares de apostas e os fluxos financeiros das empresas.

"Organizadores de esportes, federações nacionais e internacionais deveriam ter um retorno justo por todos os seus esforços para organizar o esporte. Eles deveriam ser reconhecidos com um retorno em renda financeira", acrescentou.

Atualmente, apostas legais nos esportes operam de formas diferentes em cada país. Alguns exercem um rígido controle, com monopólio estatal, enquanto outros têm um mercado liberalizado.

Ministros da Austrália, França, Suíça e Grã-Bretanha estarão presentes na reunião que será realizada na sede do COI em Lausanne, na Suíça, além de representantes das Nações Unidas e operadores de apostas esportivas.