Natal tem proposta única para Copa; SP é mais atrasada--estudo

quarta-feira, 2 de março de 2011 19:38 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após ter cancelado a primeira licitação por falta de interessados, Natal recebeu nesta quarta-feira uma única proposta para construir a Arena das Dunas para a Copa do Mundo de 2014, deixando a cidade de São Paulo como a mais atrasada entre as 12 sedes na preparação para o Mundial no Brasil, de acordo com um relatório.

A construtora OAS, que já está empenhada na reforma da Fonte Nova em Salvador, entregou a documentação exigida para erguer o novo estádio de 400 milhões de reais, com capacidade para 45 mil torcedores, na capital do Rio Grande do Norte. O governo agora deve finalizar a licitação até abril, para finalmente começar as obras.

"A documentação da única participante começou a ser analisada imediatamente após a sessão de recebimento das propostas. Até 15 de abril serão concluídas as análises", informou o governo do RN em nota. O prazo de conclusão da arena é dezembro de 2013.

Com o andamento dos preparativos em Natal, São Paulo fica como a cidade mais atrasada entre as sedes, de acordo com avaliação de progresso dos 12 estádios divulgada também nesta quarta pelo Portal 2014 (www.copa2014.org.br) -- site do Sindicato Nacional da Arquitetura e Construção que acompanha o ritmo de todas as obras relacionadas ao Mundial.

"Em São Paulo, maior cidade brasileira, capital do Estado que gera 34 por cento do PIB do Brasil e candidata a sediar a abertura da Copa, a situação permanece indefinida: o Corinthians promete iniciar as obras de seu estádio, mas nem o projeto está completo e tampouco foram liberadas as licenças necessárias para a construção", disse o relatório.

Mesmo diante do impasse, o estádio a ser construído pelo Corinthians foi oficializado na terça-feira pelo comitê organizador como a sede de São Paulo para a Copa. O clube paulista diz ter verba para levantar uma arena de 48 mil torcedores, mas precisa de financiamento para ampliar a capacidade até 65 mil -- o mínimo exigido pela Fifa para uma partida de abertura de Mundial.

O clube também ainda precisa resolver um problema no terreno escolhido para a arena, que é cruzado por dutos da Transpetro, de acordo com o Portal 2014.

Palco da final da Copa, o Maracanã está com a arquibancada praticamente toda demolida, e a reconstrução quase total está programada para começar ainda este mês. No entanto, o estádio, que já é o mais caro do Mundial ao custo de 705 milhões de reais, pode sofrer um aumento de gastos depois que foram identificados possíveis problemas estruturais na cobertura.

"O Maracanã é um estádio de 60 anos... a cobertura tem um nível de resistência dos últimos 60 anos, e a gente tem um momento em que você vai perdendo resistência", disse à Reuters nesta quarta a secretária estadual de Esportes do Rio, Márcia Lins, em entrevista no Maracanã.   Continuação...

 
<p>Est&aacute;dio do Maracan&atilde;, no Rio de Janeiro, passa por reforma para a Copa do Mundo de 2014. REUTERS/Ricardo Moraes</p>